Catarina Martins segue na Comissão Política, Gusmão e Pedro Soares entram

Catarina Martins segue na Comissão Política, Gusmão e Pedro Soares entram
| Política
Porto Canal/Agências

A nova Comissão Política do BE, coordenada por Mariana Mortágua, mantém, entre outros nomes, a ex-líder Catarina Martins, órgão no qual entra José Gusmão e Pedro Soares e saí Mário Tomé, que não foi eleito para a Mesa Nacional.

Segundo informação adiantada à agência Lusa por fonte oficial do partido, logo a seguir ao encerramento da XIII Convenção Nacional do BE, a nova Mesa Nacional eleita reuniu-se pela primeira vez e elegeu a Comissão Política bloquista, órgão que assegura a direção quotidiana do partido.

De acordo com a moção vencedora, “a coordenação da Comissão Política ficará a cargo de quem encabece a lista mais votada para a Mesa Nacional do Bloco de Esquerda”, ou seja, Mariana Mortágua.

Mantém-se Catarina Martins, como noticiado pela Lusa, e entram Pedro Soares, rosto da oposição interna e o eurodeputado José Gusmão, o ex-deputado Moisés Ferreira e o historiador Miguel Cardina, pela lista vencedora.

De saída, entre outros nomes, está o histórico da UDP Mário Tomé que, estando em 18.º lugar da lista da moção E, não foi eleito, uma vez que esta só conseguiu 13 lugares.

Para esta nova constituição do órgão foram indicados quatro nomes pela moção da oposição interna e 17 pela vencedora.

Da direção, mantêm-se nomes do núcleo duro como Fabian Figueiredo, Isabel Pires, Joana Mortágua, Jorge Costa, José Soeiro, Marisa Matias ou Pedro Filipe Soares.

“A Comissão Política, órgão que assegura a direção quotidiana do Movimento, nomeadamente a ligação com os seus grupos parlamentares nacional e europeu e a aplicação das deliberações da MN sobre a orientação política das e dos eleitos, elege um Secretariado Nacional para tarefas de coordenação executiva”, pode ler-se nos estatutos do partido.

+ notícias: Política

Quem é Elisabete Sousa, a “candidata-surpresa” que promete baralhar as eleições?

Na Via Norte, na Maia, foi colocado um cartaz com o slogan “Elisabete Sousa ‘24. Por um Portugal onde o ordenado mínimo são €5.000!”. Apesar de não ser feito um apelo direto ao voto, milhares de automobilistas que por ali passam terão já assumido estar perante uma candidatura às eleições legislativas de 10 de março. Mas Elisabete Sousa não vai figurar nos boletins de voto onde os portugueses vão escolher os seus representantes na Assembleia da República, não fosse ela na realidade uma personagem criada por uma conta paródia na rede social X. Os outdoors foram colocados na Avenida AEP e outros locais do Porto, bem como em Lisboa.

MP pede condenação de Ana Gomes por acusar Mário Ferreira de narcotráfico

O Ministério Publico pediu esta terça-feira a condenação da ex-eurodeputada Ana Gomes por difamação, dando como provado que a ex-diplomata acusou Mário Ferreira de estar ligado ao narcotráfico numa publicação numa rede social.

Paulo Raimundo diz que problemas da função pública não serão resolvidos por PS nem Direita

O secretário-geral do PCP denunciou esta terça-feira, em Palmela, a "falta de reconhecimento" dos trabalhadores da administração pública e considerou que a solução para os problemas destes profissionais não passa pelo PS ou pela direita