Governo vai realizar estudo sobre razões de saída de efetivos das Forças Armadas

Governo vai realizar estudo sobre razões de saída de efetivos das Forças Armadas
| Política
Porto Canal / Agências

A ministra da Defesa Nacional, Helena Carreiras, anunciou que o Governo vai realizar um estudo sobre as razões que levam à saída de efetivos das Forças Armadas bem como um “recenseamento sociodemográfico dos militares”.

“Dois dos estudos nos quais estamos atualmente a trabalhar incidem sobre as razões das saídas das Forças Armadas, e sobre um recenseamento sociodemográfico dos militares, que permitirá obter uma ‘radiografia’ social essencial para desenvolver medidas que articulem os recursos disponíveis e aquilo que os militares esperam do seu percurso nesta instituição, calibrando medidas de política e ajustamentos organizacionais”, anunciou Helena Carreiras.

A ministra falava no Instituto da Defesa Nacional (IDN), em Lisboa, na sessão de lançamento do livro "Políticas de Defesa em Portugal", coordenado pela governante em conjunto com o antigo ministro da Defesa Nuno Severiano Teixeira. Esta cerimónia contou com a presença e intervenção do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

“Ambos habilitarão uma tomada de decisão e ação política mais informadas e sustentadas”, completou.

Na opinião da governante, “é cada vez mais importante que os portugueses conheçam e compreendam a atuação da Defesa em nome dos seus direitos e liberdades, trabalhando em diferentes frentes simultâneas que concorrem para a defesa permanente do interesse nacional”.

Momentos antes, Nuno Severiano Teixeira - que exerceu funções de ministro da Defesa Nacional entre 2006 e 2009 – elencou alguns dos desafios atuais das Forças Armadas.

“Desafios? Obviamente que os há e, em primeiro lugar, neste momento, é o do investimento das Forças Armadas atingir os compromissos internacionais a que Portugal se obrigou, 2% do PIB, agora, agora”, disse.

Outros dos desafios da Defesa, de acordo com o antigo governante, é a “capacidade de atração, de retenção, do número de efetivos necessários ao cumprimento cabal das missões das Forças Armadas e isso obrigará certamente, em primeiro lugar, à revalorização material e simbólica, eventualmente ao alargamento da base de recrutamento das Forças Armadas e estes são, obviamente, temas fundamentais”.

Nesta sessão estiveram presentes, além da ministra da Defesa, o ministro dos Negócios Estrangeiros, os chefes da Armada, da Força Aérea, e do Exército, o secretário-geral do Sistema de Segurança Interna, o comandante-geral da Guarda Nacional Republicana e o secretário de Estado da Defesa Nacional.

Portugal estabeleceu o compromisso de atingir 2% do PIB em investimento na Defesa até ao final da década e antecipou para este ano o aumento para 1,66%, que estava inicialmente previsto para 2024.

+ notícias: Política

Eliminação de portagens em ex-SCUT aprovada na especialidade

Os deputados da Comissão de Economia, Obras Públicas e Habitação aprovaram esta quarta-feira o projeto dos socialistas que elimina as portagens nas ex-SCUT, durante a votação na especialidade.

Jovens que comprem primeira casa vão estar isentos de IMT e imposto de selo

O parlamento aprovou a isenção de IMT e Imposto do Selo para jovens até 35 anos que comprem a primeira casa, uma autorização legislativa do Governo com votos contra do PCP e Livre e abstenção do PS e BE.

Parlamento aprova redução das taxas do IRS

O parlamento aprovou esta quarta-feira em votação final global o projeto do PS que reduz as taxas do IRS até ao 6.º escalão de rendimentos, bem como projetos do PSD e CDS-PP sobre a atualização dos escalões.