Combustíveis mais caros esta segunda-feira: as duas causas para a subida de preços 

Combustíveis mais caros esta segunda-feira: as duas causas para a subida de preços 
| Economia
Porto Canal

Quando chegar ao posto de combustíveis para abastecer vai encontrar esta segunda-feira aumentos de 5,4 cêntimos por litro de gasóleo e 1,9 cêntimos por litro de gasolina, contas feitas pelo jornal Eco. Em causa estão dois fatores, por um lado o aumento do combustível, por outro a redução do desconto fiscal nos combustíveis, ou seja, um aumento de preço.

Na sexta-feira havia sido anunciado o aumento do preço dos combustíveis, com o gasóleo a aumentar 3,5 cêntimos por litro e a gasolina a sofrer um aumento de 1 cêntimo. Nesse mesmo dia, o ministério das Finanças revelava, em comunicado enviado às redações, que a redução da carga fiscal sobre os combustíveis, em março, passa a ser de 34 cêntimos por litro de gasóleo e de gasolina.

Desta forma, no caso da gasolina 1 cêntimo refere-se ao aumento do combustível e 0,9 cêntimos devem-se ao ajuste do Imposto sobre Produtos Petrolíferos e Energéticos (ISP). Já o gasóleo sobre 5,4 cêntimos por litro, em vez dos 3,5 cêntimos anunciados.

Esta segunda-feira o preço médio por litro de gasóleo simples ronda os 1,57 euros, já a gasolina simples 95 custa em média 1,68 euros por litro em Portugal.

+ notícias: Economia

Tem faturas por validar? Prazo foi prolongado

A Autoridade Tributária (AT) prolongou por dois dias, até quarta-feira, o prazo para a validação de faturas relativas a 2023 no portal e-fatura, depois de constrangimentos no último dia do prazo inicial.

Bruxelas elogia cortes "permanentes de despesa" anunciados pelo Governo

A Comissão Europeia saudou hoje o facto de as medidas anunciadas pelo primeiro-ministro se basearem em "reduções permanentes de despesa" e destacou a importância de existir um "forte compromisso" do Governo na concretização do programa de ajustamento.

Bruxelas promete trabalhar "intensamente" para conluir 7.ª avaliação

Bruxelas, 06 mai (Lusa) -- A Comissão Europeia está empenhada em trabalhar "intensamente" para terminar a sétima avaliação à aplicação do programa de resgate português antes das reuniões do Eurogrupo e do Ecofin da próxima semana, mas não se compromete com uma data.