Dois transexuais de Hong Kong alcançaram a "vitória final" em tribunal em relação à mudança de género

Dois transexuais de Hong Kong alcançaram a "vitória final" em tribunal em relação à mudança de género
| Mundo
Porto Canal / Agências

O tribunal de última instância de Hong Kong decidiu que a cirurgia de mudança completa de sexo não deve ser um requisito para que alguém veja o género alterado nos documentos de identidade oficiais.

O ativista transexual Henry Edward Tse e uma pessoa identificada apenas como Q, recorreram, no mês passado, ao tribunal depois do Governo ter negado alterar o género nos documentos de identificação, por não terem levado a cabo cirurgias completas de mudança sexo.

Tse e Q são homens transexuais que fizeram remoção mamária, receberam tratamentos hormonais e têm levado a vidas como homens, com apoio e orientação profissional, bem como tratamento psiquiátrico.

A decisão do tribunal de última instância, tomada na segunda-feira, poderá ter forte impacto na comunidade LGBTQ, já que muitos dos membros transexuais consideram que a operação é desnecessária e arriscada.

Tse e Q levaram o caso a tribunal, uma vez que a lei vigente permite que homens transexuais mudem o género na documentação apenas caso tenham removido útero, ovários e tenham genitais masculinos. São exceção todos aqueles que não podem ser submetidos a atos cirúrgicos por razões médicas.

Tanto os tribunais de primeira e segunda instâncias negaram provimento ao recurso interposto por Tse e Q. Os dois foram autorizados, porém, a comparecer no tribunal de última instância.
Num julgamento público, o tribunal disse que a política do Governo é inconstitucional e impõe um "fardo inaceitavelmente duro".

Os juízes afirmaram, além disso, que quaisquer questões administrativas que surgem tendem a dizer respeito à aparência exterior de uma pessoa e não aos genitais. Manter o género no bilhete de identidade sem alterações produz "maior confusão ou constrangimento".

Henry Edward Tse aplaudiu a decisão, dizendo que muitos transexuais têm ansiado por uma "vitória final" há anos. "Agora que tenho um bilhete de identidade masculino, será muito mais fácil para mim aceder a espaços segregados por género", disse.

Liam Mak, co-fundador e presidente da organização local de jovens transexuais Quarks disse que este é um "marco importante" para a comunidade transgénero em Hong Kong.

"Dado que cada indivíduo tem preferências ou decisões diferentes na sua própria jornada de transição de género, espero que o Governo se baseie nos conselhos do tribunal para proteger o direito de todas as pessoas transgénero", disse.

 

+ notícias: Mundo

Trump pode ser detido esta terça-feira

O ex-presidente norte-americano Donald Trump enfrenta uma série de ações judiciais e investigações, mas é o caso de alegados pagamentos a uma atriz pornográfica que poderá levar a uma acusação sem precedentes na história do país.

Compra do Credit Suisse pelo UBS pode resultar na perda de 40 mil postos de trabalho

A compra do Credit Suisse pelo UBS pode resultar na perda de milhares de postos de trabalho. O Financial Times admite que os cortes possam mesmo chegar aos 40 mil trabalhadores.

Registado sismo de 6,5 no Afeganistão

Um sismo de magnitude 6,5 na escala de Richter foi resgatado, esta terça-feira, em partes do Afeganistão, Paquistão e Índia.