Carlos Moedas: "Descentralização tem sido muito mal feita"

| Política
Porto Canal

Carlos Moedas criticou hoje o processo de transferência de competências para as autarquias locais. Em entrevista ao Porto Canal, o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa afirmou que o que o governo está a fazer é "a passar tarefas" e não "a capacidade de fazer."

“A descentralização tem sido muito mal feita”. É desta forma que Carlos Moedas aborda um tópico que tem sido marcado por muitos avanços e recuos. Entre a dificuldade de implementação e a relutância de muitos autarcas, esta é uma temática que tem gerado bastante discórdia, bem expresso nas palavras de Carlos Moedas, em entrevista ao Porto Canal. 

O Presidente da Câmara de Lisboa defende que o processo não tem sido bem conduzido, especialmente na área" da educação. 

O autarca defende que "se queremos uma verdadeira descentralização temos que descentralizar o total da educação".

Moedas acrescenta ainda que, ao não ter a capacidade de, por exemplo, contratar professores, os autarcas são vistos como "tarefeiros do governo". 

A outra problemática em torno da descentralização relaciona-se com "a parte dos recursos", segundo o autarca, referindo que as verbas recebidas pelas Câmaras Municipais em todo o processo não insuficientes. 

+ notícias: Política

António Costa garante que Alemanha "pode contar 100% com o empenho de Portugal" para construção de gasoduto

O primeiro-ministro garantiu hoje que "a Alemanha pode contar 100% com o empenho de Portugal para a construção do gasoduto", depois de o chanceler alemão ter apelado à construção dessa infraestrutura para reduzir a dependência de gás russo.

Marcelo Rebelo de Sousa diz que lei não permite uso de escusas de responsabilidade

O Presidente da República defendeu que, em regra, a lei não permite o uso das escusas de responsabilidade e que, em política, quando se tem razão, é muito importante saber explicar aos portugueses a razão que se tem. Estas declarações do Presidente da República surgem numa altura em que muitos médicos têm apresentado escusas de responsabilidade por considerarem que não estão reunidas as condições necessárias para desempenharem as funções cumprido as regras da boa prática médica.

Ensino superior terá aumento de 3,7% e tutela retoma fórmula de financiamento

O ensino superior deverá contar com um aumento de 44 milhões de euros no Orçamento do Estado para 2023, mais 3,7% face a 2022, anunciou esta quarta-feira a tutela, adiantando também que vai voltar a aplicar a fórmula de financiamento.