FC Porto bateu o SL Benfica (65-47) e reduziu a desvantagem na final da Liga de Basquetebol

| FC Porto
Porto Canal com fcporto.tv

Ciente da responsabilidade que é envergar o brasão abençoado no Dragão Arena, a equipa de basquetebol do FC Porto recebeu e venceu o Benfica por 65-47 e recuperou parte do atraso trazido da capital fruto das duas derrotas no Pavilhão da Luz. De volta à Invicta sem margem de erro, e menos de 72 horas depois do segundo jogo em Lisboa, os portistas apresentaram-se revigorados e tiveram no duplo-duplo de Miguel Queiroz (16 pontos e 10 ressaltos) um dos catalisadores da primeira vitória na final do campeonato.

Com Rashard Odomes e Jonathan Arledge de fora por opção - e de novo com Max Landis no cinco inicial -, os comandados de Moncho López provaram que a parca produção ofensiva diante deste mesmo adversário era apenas momentânea e entraram com tudo, conforme demonstram os 22 pontos marcados em dez minutos - quase metade dos que haviam alcançado na totalidade do jogo 2 (48). O período inaugural viria a findar com alguma apreensão entre o campo e as bancadas depois da saída de um muito queixoso Mike Morrison, que contraiu uma grave lesão no joelho direito e rumou imediatamente a uma unidade médica da cidade para ser avaliado. Largamente superiores na luta das tabelas, mas algo erráticos, os azuis e brancos saíram para o descanso a vencer por apenas quatro muito graças à elevada quantidade de turnovers (nove contra três) e ao relativo acerto dos encarnados desde o perímetro.

O intervalo fez bem aos atletas da casa, que regressaram de mão quente e ampliaram a distância para o valor máximo até então, muito fruto do poderio atacante da dupla de internacionais portugueses composta por Francisco Amarante e Miguel Queiroz. Do outro lado do campo a malha defensiva apertava e o Benfica via-se reduzido a apenas 5 pontos face aos 13 do FC Porto. O derradeiro período também começou por pender desde cedo para os da Invicta, que logo atingiram uns respeitosos 17 pontos de vantagem que praticamente sentenciaram a partida. Consequência de uma excelente exibição coletiva, o triunfo (65-47) viria a ser selado após 40 minutos de brio de uma equipa portista que se recusou a oferecer o palco para a festa de um rival que marcou apenas 14 pontos no segundo tempo. Sábado há mais uma batalha para ganhar no mesmo reduto (15h00, FC Porto TV/Porto Canal).

“Conseguimos uma vitória importante e agora olhamos para as coisas de outra forma. Há que pensar no que fizemos para a conseguir e repetir isso no sábado. Cada jogo é uma história diferente e hoje tivemos de lidar com um problema gravíssimo que foi a lesão do Mike Morrison que mexeu muito com os atletas. A capacidade de a equipa chegar preparada para vencer e de reagir bem perante um problema tão grave, mantendo-se unida e focada. Não chega lutar, há que lutar e fazer as coisas bem. O momento do jogo foi o terceiro período, quando estivemos num nível altíssimo a nível defensivo que só não se repercutiu no marcador porque fizemos turnovers que temos de evitar. Quatro ou cinco ataques consecutivos a perder a bola… Eu entendo que defender nos desgasta muito e que os nervos são grandes, mas temos e vamos melhorar com toda a certeza no próximo jogo”, declarou Moncho López após o apito final.

FICHA DE JOGO

FC PORTO-BENFICA, 65-47
Liga Portuguesa de Basquetebol, Playoffs, final, Jogo 3
9 de junho de 2022
Dragão Arena

Árbitros: Luís Lopes, Pedro Maia e Bruno Maciel

FC PORTO: Charlon Kloof (1), Francisco Amarante (12), Max Landis (4), Miguel Queiroz (16) e Mike Morrison (4)
Suplentes: João Torrie, Vlad Voytso (7), Brad Tinsley (12), João Soares (4), Markus Loncar (5), Tiago Almeida e Miguel Correia
Treinador: Moncho López

SL BENFICA: Frank Gaines (4), Aaron Broussard (7), João Gomes (10), Ivan Almeida (4) e Wendell Lewis (6)
Suplentes: José Silva, José Barbosa (5), Makram Romdhane (11), Diogo Gameiro, Tomás Barroso, Arnette Hallman e Dennis Clifford ()
Treinador: Norberto Alves

Ao intervalo: 37-33
Parciais: 22-18, 15-15, 13-5 e 15-9

+ notícias: FC Porto

Treinador da natação do FC Porto prolonga contrato por mais dois anos

José Manuel Borges continuará como timoneiro da natação azul e branca até 2024. Chegado ao comando técnico do FC Porto em 2018 - depois de orientar atletas nas Olimpíadas de Atlanta (1996), Atenas (2004) e Londres (2012) -, o antigo nadador já havia representado o clube entre 1972 e 1980, período em que se sagrou campeão e recordista nacional. Acabado de prolongar vínculo por mais duas temporadas com o emblema de que é adepto e sócio, José Manuel Borges revelou o “orgulho” que sente por poder orientar “o clube em Portugal que disponibiliza melhores condições de preparação aos atletas”. “É um privilégio poder continuar este trabalho com o objetivo de continuar a evoluir e podermos ter mais atletas em competições de outro nível, nomeadamente nos Jogos Olímpicos”, declarou o treinador da natação portista.

Jorge Nuno Pinto da Costa: "As vitórias do FC Porto, de há uns anos para cá, têm sempre um bocadinho do IBB"

O Internationales Bakhaus Bodensee AG é uma entidade bancária alemã que foi essencial para o FC Porto numa altura difícil em que os bancos nacionais fecharam as portas ao clube. Aquando da entrega dos Dragões de Ouro 2021, em novembro do ano passado, o galardão para Parceiro do Ano foi entregue em mãos a Cristiano Faria, representante do IBB AG em Portugal. Nesta quarta-feira, na Tribuna Presidencial do Estádio do Dragão, Jorge Nuno Pinto da Costa repetiu o ato na presença de Heike Kemmner, que a administradora do banco germânico considerou “uma grande honra”. O presidente mais titulado do mundo, por sua vez, sublinhou que, “quando estamos de parabéns, o IBB também está de parabéns”.

Juniores A do FC Porto goleiam o Estoril no Estádio de Pedroso (6-0)

A equipa de sub-19 do FC Porto recebeu e venceu o Estoril, por 6-0, num encontro relativo à 14.ª e derradeira ronda a fase de Apuramento de Campeão do Campeonato Nacional de Juniores A. Rui Monteiro (46m), Tiago Antunes (64m), Giorgi Abuashvilli (72m), Jorge Meireles (82m), Rui Monteiro (88m e 94m) foram os autores dos golos portistas. Com este resultado, os jovens Dragões chegam aos 33 pontos, os mesmos do Benfica, e veem fugir o título pela diferença mínima de golos.