Lufthansa reduz prejuízo para 2.191 milhões de euros em 2021

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Frankfurt, 03 mar 2022 (Lusa) -- A Lufthansa revelou hoje que teve um prejuízo de 2.191 milhões de euros em 2021, menos 67% que no ano anterior, em resultado dos voos no verão, do recorde no transporte de carga e da redução de custos.

O grupo de aviação, que foi resgatado pelo Estado alemão, disse em comunicado que o Ebit (lucros antes de impostos e juros) recuou 69% para 2.316 milhões de euros, apesar da pandemia de covid-19 e das novas restrições às viagens.

O primeiro trimestre deste ano continua a "ser difícil", por causa da variante do vírus, a Ómicron, mas a Lufthansa espera uma "melhoria significativa" nos próximos trimestres, apesar de haver "muita incerteza" devido à guerra na Ucrânia, salienta o grupo empresarial em comunicado.

As receitas, por seu turno, que caíram no primeiro ano com a pandemia de covid-19, melhoraram no ano passado para 16.811 milhões de euros, apresentando um crescimento homólogo de 24%.

Quanto às taxas de ocupação dos aviões nas rotas de curto e médio curso, estas quase alcançaram o nível do verão de 2019, segundo a companhia.

O presidente executivo da Lufthansa, Carsten Spohr, durante a apresentação dos resultados financeiros disse, no entanto, que 2021 foi "um ano difícil" para a companhia e que este ano "começou com acontecimentos que o preocupam".

"As nossas companhias aéreas ligam pessoas, culturas e economias. Defendemos a compreensão a nível internacional e a paz na Europa e no mundo", salientou Spohr.

O aumento da procura por viagens de lazer e negócios foi "notável em 2021", realçou o gestor, adiantando que essa tendência deverá intensificar-se este ano.

O grupo de aviação Lufthansa é formado pela companhia aérea alemã Lufthansa, a Austrian Austrian Airlines, a Swiss Swiss, Brussels Airlines e a Eurowings.

JS // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Julho foi dos meses mais quentes jamais registados no mundo

O mês passado foi um dos julhos mais quentes jamais registados no mundo, indicou, esta terça-feira, a Organização Meteorológica Mundial (OMM), uma agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU) com sede em Genebra.

China detecta 35 casos humanos de um novo vírus de origem animal

Um estudo científico revelou a deteção em duas províncias da China de 35 infeções em seres humanos de um novo vírus de origem animal, da família dos Henipavírus, informou esta terça-feira a imprensa estatal do país asiático.

Fornecimento de petróleo russo via Ucrânia foi interrompido

As entregas de petróleo russo a três países europeus através da Ucrânia foram interrompidas após a recusa de uma transação bancária ligada às sanções contra Moscovo, anunciou hoje a empresa russa responsável pelo transporte.