Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

Investigadora franco-iraniana Fariba Adelkhah novamente presa em Teerão

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Teerão, 16 jan 2022 (Lusa) -- A investigadora franco-iraniana Fariba Adelkhah foi novamente presa por não ter respeitado as regras de sua prisão domiciliar, anunciou hoje uma autoridade judicial iraniana.

"Infelizmente, [Fariba] Adelkhah violou, dezenas de vezes e deliberadamente, os limites estabelecidos no âmbito da sua prisão domiciliar e, como resultado, foi mandada de volta para a prisão", disse o vice-diretor do poder judiciário, Kazem Gharibabadi, citado pela agência de informação da Justiça iraniana Mizan.

Fariba Adelkhah, de 62 anos, voltou a ser presa apesar de estar em prisão domiciliar desde outubro de 2020.

A investigadora foi detida em junho de 2019 e acusada de pôr em perigo a segurança nacional do Irão, tendo sido condenada, em maio de 2020, a cinco anos de prisão,

As acusações foram sempre negadas pela própria e pelos seus apoiantes.

Gharibabadi lamentou que a cientista tenha ignorado "repetidos avisos das autoridades judiciais".

Na quinta-feira, o Presidente francês, Emmanuel Macron, considerou a decisão das autoridades iranianas "totalmente arbitrária", afirmando que "toda a França" foi "mobilizada para a sua libertação".

O Ministério dos Negócios Estrangeiros francês tinha alertado no dia anterior que a reclusão "poderia ter consequências negativas" nas relações bilaterais e "reduzir a confiança" entre os dois países.

Gharibabadi considerou essas declarações como "infundadas", denunciando aquilo que chamou de interferência de países estrangeiros no sistema judicial iraniano.

Fariba "Adelkhah é cidadã da República Islâmica do Irão e condenamos veementemente a intervenção de outros países no processo judicial", disse.

O Irão não reconhece a dupla nacionalidade e trata os presos como cidadãos iranianos.

"É muito lamentável que as autoridades francesas (...) apesar de terem conhecimento das violações de [Fariba] Adelkhah, divulguem informações infundadas que são inaceitáveis", acrescentou Gharibabadi.

PMC // JPS

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Putin ameaça com ataques "relâmpago" em caso de intromissão estrangeira

O Presidente russo, Vladimir Putin, ameaçou hoje que responderá com um ataque "relâmpago" a qualquer ingerência estrangeira na Ucrânia, onde está há dois meses em curso uma guerra desencadeada pela invasão do exército russo.

Pelo menos nove civis mortos por bombardeamentos russos no leste e sul da Ucrânia

Pelo menos nove civis morreram hoje na sequência de bombardeamentos do exército russo no leste e sul da Ucrânia, anunciaram as autoridades locais. De acordo com informações do governador da região de Lugansk (leste da Ucrânia), Sergey Gadai, três civis morreram debaixo de escombros de um prédio atingido por um bombardeamento na cidade de Popasna, para onde tinham fugido a fim de, segundo a mesma fonte, "se proteger de mísseis russos".

Um outro bombardeamento, que atingiu a cidade de Kharkiv (também no leste), a segunda maior da Ucrânia, matou três pessoas e deixou sete feridas, duas delas com gravidade, anunciou o governador regional, Oleg Synegoubov, apelando aos moradores para terem "muito cuidado e, se possível, não saírem dos abrigos".

Outros dois civis foram mortos e seis ficaram feridos na região de Donetsk, segundo o governador, Pavlo Kyrylenko.

Rússia deixa de fornecer eletricidade à Finlândia a partir de sábado

Helsínquia, 13 mai 2022 (Lusa) -- A Rússia vai suspender as entregas de eletricidade para a Finlândia a partir de sábado, devido a contas não pagas, anunciou hoje o fornecedor RAO Nordic Oy, que detém a empresa russa InterRAO.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.