Info

OE2022: Santos Silva alerta para "dois trunfos" que Portugal arrisca perder na cena europeia

| Política
Porto Canal com Lusa

Luxemburgo, 18 out 2021 (Lusa) -- O ministro dos Negócios Estrangeiros advertiu hoje que um eventual 'chumbo' do Orçamento do Estado para 2022 retiraria a Portugal "dois trunfos" que o país tem jogado na cena europeia - o consenso a nível de disciplina orçamental e a estabilidade política.

Em declarações à imprensa após uma reunião de chefes da diplomacia da União Europeia (UE), no Luxemburgo, Augusto Santos Silva, questionado sobre se considera haver riscos associados a uma rejeição do OE2022, respondeu que sim, "vários riscos", e começou por deixar "dois alertas" enquanto ministro responsável pelos Assuntos Europeus.

"Como ministro responsável pelos Assuntos Europeus, tenho dois alertas a fazer: o primeiro é que a estabilidade política tem sido sempre uma característica da situação política portuguesa, que muito tem ajudado o trabalho do ministro responsável pelos Assuntos Europeus no diálogo com as instituições europeias e com os seus colegas. E o país não devia perder essa sua vantagem, designadamente em comparação com a instabilidade que caracteriza vários outros Estados-membros", começou por referir.

Em segundo lugar, prosseguiu, Portugal tem "uma oportunidade de ouro" de conjugar os fundos do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) com outras três fontes de fundos -- os que ainda resta executar do Portugal2020, os fundos que vão começar a ser transferidos do Portugal2030, e aqueles decorrentes do orçamento nacional -- como "uma alavanca para a recuperação económica do país que o país não deve desperdiçar".

"Ao longo destes seis anos que já levo como ministro dos Negócios Estrangeiros, pude sempre mostrar dois grandes trunfos em Bruxelas, e quem diz em Bruxelas diz também em Frankfurt [sede do Banco Central Europeu]: o primeiro trunfo é o grande consenso que em Portugal existe em matéria de política europeia e designadamente em matéria de compromisso com a disciplina orçamental e o rigor na administração dos recursos públicos. E o segundo grande trunfo é a estabilidade institucional e política em Portugal", apontou.

"Essa estabilidade política, essa estabilidade institucional, insisto, é um trunfo. É um elemento que não só facilita a minha vida como ministro dos Assuntos Europeus, como é muito preservada -- sei do que falo -- pelas instituições europeias e pelos demais Estados-membros. E nós não deveríamos perder esses dois trunfos", reforçou.

Embora ressalvando que apenas comentava a importância da aprovação do OE2022 enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros e não se pronunciava sobre "questões de natureza interna", Santos Silva defendeu ainda assim que "a proposta de orçamento é muito boa", pois "significa o pagamento de menos impostos por parte da classe média em Portugal, maior apoio aos mais necessitados, e contém medidas muito importantes de estímulo do investimento, quer público quer privado, de melhoria do ambiente empresarial, e apoio de uma política de demografia ativa, particularmente dirigida a famílias jovens com filhos".

Questionado sobre se falou hoje com os seus homólogos sobre as dificuldades que o Governo está a sentir este ano para aprovar no parlamento o seu orçamento de Estado, Santos Silva disse que não, comentando que "todos confiam na sensatez de que Portugal tem dado provas", e que disse acreditar que voltará a dar.

"Até ao lavar dos cestos é vindima, e, portanto, ainda estamos na vindima no que diz respeito ao orçamento para 2022, e a minha convicção é que, até ao lavar dos cestos, a vindima ficará bem feita", concluiu.

ACC // JPS

Lusa/fim

+ notícias: Política

Ministro Eduardo Cabrita demite-se

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, demitiu-se hoje, na sequência da acusação de homicídio por negligência do Ministério Público ao seu motorista pelo atropelamento mortal de um trabalhador da autoestrada A6, em junho deste ano.

Militantes de Gaia desafiam PSD/Porto a "retratar-se de rutura" com as bases

O Movimento Reativar Gaia, de militantes daquela concelhia do PSD, quer que a distrital social-democrata do Porto "se retrate da rutura existente entre a estrutura e os seus militantes" e está a preparar uma "estratégia operativa" para as legislativas.

Governo aprova subida do salário mínimo para 705 euros a partir de janeiro

O Governo aprovou hoje a subida do salário mínimo para 705 euros a partir de 01 de janeiro, bem como os apoios às empresas para estes aumentos, adiantou o executivo, no final do Conselho de Ministros.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.