Info

Associação Discotecas do Sul e Algarve diz que a abertura em outubro chega "tarde"

| País
Porto Canal com Lusa

Faro, 29 jul 2021 (Lusa) -- A Associação de Discotecas do Sul e Algarve (ADSA) considerou hoje que a reabertura do setor a partir de outubro chega "tarde" para os espaços de diversão noturna da região, que têm "mais um verão perdido".

O presidente da ADSA, Liberto Mealha, congratulou-se, no entanto, por bares e discotecas de outras regiões do país poderem retomar a atividade com a reabertura anunciada hoje pelo Governo, no âmbito do plano de desconfinamento traçado para acompanhar uma evolução positiva da pandemia de covid-19.

"Mais vale tarde do que nunca, mas o que é facto é que, na verdade, sendo anunciado as discotecas a abrir em outubro, para nós Algarve não surte efeito nenhum, é mais um verão perdido, porque, sendo nós sazonais, em outubro a época praticamente está terminada e a decisão é muito prejudicial", afirmou Liberto Mealha.

Numa reação ao anúncio feito hoje pelo primeiro-ministro, António Costa, no final do Conselho de Ministros, Liberto Mealha destacou a importância da medida para as empresas do setor que operam noutras regiões portuguesas.

"Para o resto do país, finalmente houve aqui esta abertura, embora já um bocado tarde, mas estou satisfeito pelos colegas que estão em Lisboa e Porto, que podem usufruir e continuar a trabalhar, agora aqui no Algarve não nos serve para nada esta decisão", reiterou o presidente da ADSA, que é também vice-presidente da Associação Nacional de Discotecas.

Liberto Mealha lamentou que, com a abertura em outubro, 2021 seja "mais um ano perdido" à semelhança do que aconteceu em 2020, com efeitos negativos para o emprego e a saúde financeira das "cerca de 20 discotecas que matem atividade em todo Algarve".

A mesma fonte sublinhou que cada discoteca tem "uma média de 20 a 25 empregados, algumas com mais, e são seguramente umas 500 famílias afetadas" pela impossibilidade de as discotecas algarvias trabalharem durante verão.

"Em relação ao resto do comércio, foi uma decisão acertada, porque na verdade já estávamos a ter muitos turistas a dizer que não valia a apena vir para Portugal ou para o Algarve com horários até as 22:30", disse ainda a mesma fonte, frisando que este posicionamento também já estava a ser observado junto de turistas do Reino Unido, que "optavam por Espanha e não por Portugal por causa do horário".

Os bares e discotecas vão permanecer encerrados até outubro, mês em que poderão reabrir para clientes com certificado de vacinação contra a covid-19 ou de recuperação da doença ou com teste negativo, anunciou hoje o primeiro-ministro.

Os espaços de diversão noturna estão encerrados permanentemente desde março de 2020 por causa da pandemia e poderão reabrir em outubro, quando as autoridades estimam que 85% da população portuguesa esteja com a vacinação completa contra a covid-19, disse António Costa.

O primeiro-ministro falava no final do Conselho de Ministros de hoje, que aprovou três novas fases de levantamento das restrições em vigor por causa da pandemia e de retoma gradual de algumas atividades, sendo a primeira fase em 01 de agosto (57% população vacinada), a segunda em 05 de setembro (71%) e a última em outubro (85%).

"Nessa fase será então possível que bares e discotecas possam reabrir", disse António Costa, que acrescentou que os frequentadores terão de apresentar os certificados digitais e testes negativos, que são já agora pedidos na restauração.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.190.383 mortos em todo o mundo, entre mais de 195,8 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.330 pessoas e foram registados 963.446 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

MHC (MP) // MLS

Lusa/Fim

+ notícias: País

Estudo revela que dois em cada 10 idosos não desenvolvem anticorpos após a toma da vacina contra a Covid-19

Um estudo realizado durante um ano, por um grupo de investigadores do Instituto de Investigação do Medicamento, da Faculdade de Fármacia da Universidade de Lisboa, revelou que dois em cada 10 idosos não desenvolvem anticorpos após a toma da vacina contra a Covid-19.

Mais 939 infeções, sete mortes e nova redução nos internamentos

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 939 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, sete mortes atribuídas à covid-19 e nova redução nos internamentos em enfermaria e cuidados intensivos

Marta Temido: "Há quantidades para revacinar toda a população contra a Covid-19"

A Ministra da Saúde, Marta Temido, avisa que "há quantidades para revacinar toda a população contra a Covid-19" e alerta que "a máscara não é para deitar fora".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS