Info

Plano estratégico agrícola será apresentado no próximo semestre - ministra

| Política
Porto Canal com Lusa

Bruxelas, 01 mar 2021 (Lusa) -- Portugal pretende apresentar a primeira versão do seu plano estratégico agrícola no início do próximo semestre, disse hoje em entrevista à Lusa a ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes.

"Com a conclusão da presidência portuguesa, Portugal pretende apresentar a primeira versão do seu plano estratégico, no âmbito da Política Agrícola Comum (PAC), até início do próximo semestre", adiantou a ministra.

O plano estratégico não pode perder de vista que "temos que garantir a viabilidade das explorações agrícolas, temos que promover o desenvolvimento rural e temos que trazer para esta transição e para este modelo todas e todos. Ninguém pode ficar para trás", sublinhou.

Com base neste 'draft' -- que resulta, entre outros fatores, de uma consulta pública --, Portugal quer "utilizar o ano de 2021 para concluir a versão final do plano estratégico".

O calendário do Governo prevê ainda que em 2022 sejam resolvidas "questões que eventualmente fiquem ainda em aberto" e o plano seja apresentado aos agricultores e aos produtores.

A partir de janeiro de 2023, o plano estará plenamente implementado, como previsto no calendário da nova Política Agrícola Comum (PAC), salientou.

"É muito importante este trabalho que está a ser feito entre a Comissão [Europeia] e os Estados-membros, no âmbito de um diálogo estruturado, com base nos objetivos definidos no âmbito no Pacto Ecológico Europeu, da Estratégia do Prado ao Prato e da biodiversidade", acrescentou.

A proposta de Regulamento dos Planos Estratégicos da PAC estabelece que cada Estado-membro apresente um plano estratégico único incluindo as medidas de apoio para se alcançarem os objetivos específicos da UE para a futura PAC e a Comissão verifica esses planos e procede à sua aprovação.

Os planos estratégicos da PAC combinarão os instrumentos de apoio da PAC financiados pelo FEAGA - pagamentos diretos e intervenções setoriais e pelo FEADER -- intervenções do desenvolvimento rural.

As negociações da nova PAC (2021-2027) deverão estar concluídas esta primavera, sob presidência portuguesa, e o início está agendado para 2023, sendo que em 2021 e 2022 vigora um regulamento de transição.

IG // JLG

Lusa/fim

+ notícias: Política

Lei Autárquica: autarcas independentes querem a extinção da CNE 

Os presidentes de câmara eleitos em grupos de cidadãos querem a extinção da Comissão Nacional de Eleições. Segundo os autarcas independentes a CNE está a discriminar os movimentos independentes em relação aos partidos.

Operação Marquês: PR diz que "não pode nem deve comentar o que diz respeito ao poder judicial"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, escusou-se hoje a fazer qualquer comentário à decisão instrutória do processo relativo à Operação Marquês, considerando "não pode nem deve comentar o que diz respeito ao poder judicial".

Marcelo concorda com Costa sobre falta de poderes da EMA nas vacinas

O Presidente da República concordou hoje com o primeiro-ministro sobre a necessidade de a Agência Europeia de Medicamento (EMA) ter mais poder para que cada estado não tenha uma posição diferente sobre vacinas contra a covid-19.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Zoom Zoom Z o o m