Info

Covid-19: Angola regista mais 53 infetados e aumenta para 3.901 casos

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Luanda, 19 set 2020 (Lusa) -- Angola reportou mais 53 infeções por covid-19 nas últimas 24 horas, aumentando o número total de casos para 3.901, anunciaram as autoridades de saúde.

Segundo o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, três dos casos registaram-se em Benguela, dois de Cabinda e 48 de Luanda, com idades de 03 a 68 anos, sendo 28 de sexo masculino e 25 feminino. Duas pessoas foram dadas como recuperadas.

O balanço da situação epidemiológica é agora de 3.901 casos, 147 óbitos, 1445 recuperados e 2309 ativos, com dois em estado crítico e 13 graves.

Desde sexta-feira, 1805 amostras foram processadas, num acumulado de 73.146.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 953 mil mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 1.899 em Portugal.

Em África, há 33.626 mortos confirmados em mais de 1,3 milhões de infetados em 55 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, Angola lidera em número de mortos e Moçambique em número de casos. Angola regista 147 mortos e 3.901 casos, seguindo-se a Guiné Equatorial (83 mortos e 5.000 casos), Cabo Verde (50 mortos e 5.186 casos), Moçambique (41 mortos e 6.537 casos), Guiné-Bissau (39 mortos e 2.303 casos) e São Tomé e Príncipe (15 mortos e 908 casos).

 

RCR // JH

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Cientistas descobrem anticorpos que podem neutralizar as variantes da Covid-19

Uma equipa internacional de cientistas descobriu anticorpos que podem neutralizar as variantes da Covid-19, incluindo esta última variante Ómicron, um estudo que foi desenvolvido por cientistas da Escola de Medicina da Universidade de Washington, nos EUA

Afeganistão: 98% da população desnutrida e 9 milhões de pessoas "à beira da fome" - Unicef

Roma, 18 jan 2022 (Lusa) -- A quase totalidade da população afegã (98%) não tem o suficiente para comer e 9 milhões de pessoas estão "desesperadas, à beira da fome", alertou hoje o porta-voz da Unicef de Itália, Andrea Lacomini.

Tribunal moçambicano condena líder de grupo de caça ilegal a 30 anos de prisão

Maputo, 18 jan 2022 (Lusa) -- O Tribunal Judicial da Província de Maputo condenou a 30 anos de prisão um homem que liderava um grupo de caça ilegal de animais em áreas de conservação moçambicanas e sul-africanas, anunciou hoje o Ministério da Terra e Ambiente de Moçambique.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.