Info

Eleições: Rio espera que "silêncio" do Governo sobre parecer da PGR não dure 15 dias

| Política
Porto Canal com Lusa

Porto, 20 set 2019 (Lusa) -- O presidente do PSD, Rui Rio, espera que o "silêncio" do Governo sobre o parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR) sobre incompatibilidades com familiares não seja de "15 dias".

À margem de um almoço-debate organizado pela Confederação do Turismo de Portugal, no Porto, Rui Rio disse esperar que o "silêncio" seja de 24 a 48 horas e não de 15 dias.

Assumindo ter uma "relativa curiosidade" sobre o parecer, decorrente do facto de ter demorado muito tempo, o social-democrata assumiu, contudo, que a lei é "taxativa e claríssima".

"Não sou jurista, mas deve ter de haver uma ginástica jurídica muito grande para conseguir não ler na lei o que está lá taxativamente", vincou.

O primeiro-ministro, António Costa, confirmou quinta-feira, em Leiria, que já recebeu o parecer que tinha pedido sobre incompatibilidades entre governantes e familiares em negócios com o Estado e afirmou que o documento está a ser analisado.

"Estamos a ler, a apreciar e depois falaremos amanhã", limitou-se a dizer António Costa à chegada a Leiria, onde discursou como secretário-geral do PS, num comício do cabeça-de-lista socialista por Leiria às eleições legislativas, Raul Castro.

A Procuradoria-Geral da República já tinha confirmado à Lusa que o Conselho Consultivo entregou no gabinete do primeiro-ministro o parecer que António Costa tinha pedido sobre incompatibilidades entre governantes e familiares em negócios com o Estado.

"O parecer foi transmitido à entidade consulente, o gabinete do primeiro-ministro. A entidade competente para decidir sobre a divulgação é a que solicitou o parecer, sendo que a Procuradoria-Geral da República nada tem a opor a essa divulgação", refere a PGR, numa resposta à agência Lusa.

SVF (EYC/ARA/JF) // ACL

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Luís Montenegro: "Comigo não vai haver acordos entre o PS e o PSD"

Luís Montenegro garante que com ele na liderança do PSD não haverá acordos com o PS, nem que seja para negociar orçamentos. O já assumido candidato à liderança dows sociais democratas espera a disponibilidade de Rui Rio para que haja uma maior clarificação de ideias para o futuro do partido.

Autarcas do Grande Porto pedem mais autonomia na organização de atos eleitorais

Cinco autarcas de freguesias de concelhos do Grande Porto vão pedir à Comissão Nacional de Eleições e ao Ministério da Administração Interna que confira às Juntas maior autonomia na organização dos atos eleitorais. Os Presidentes de Junta referem que no passado domingo foram muitos os eleitores que enfrentaram excessiva e inaceitável demora no exercício do direito de voto e, por isso, pedem mudanças.

Diana Ferreira diz que orçamento do hospital de S. João "é insuficiente"

A recém-reeleita deputada do PCP pelo Porto, Diana Ferreira, quis fazer um ponto de situação sobre a construção da nova ala pediátrica do hospital de São João e reuniu-se esta sexta-feira com a administração. Sobre a obra, está tudo a correr como previsto. Já sobre o orçamento do hospital, Diana Ferreira saiu com a certeza de que é insuficiente.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.