Legislativas 2015

As eleições e o BES

Pedro Arroja - 15-09-2015 13:37:49

O caso BES ameaça tornar-se um dos temas centrais das eleições legislativas de Outubro. Os lesados do BES perseguem agora em manifestações os governantes em campanha onde quer que eles vão.

O caso não é para menos. Um Governo que em quase todos os outros aspectos cumpriu razoavelmente aquilo que se esperava dele, cometeu no BES o maior erro de toda a legislatura e, provavelmente, um dos maiores das últimas décadas em democracia.

Não foi um erro por acção. Foi um erro por omissão - o de não ter nacionalizado o BES.

A falência de um grande banco nacional, como era o BES, é um assunto de Estado, do qual o Governo não se pode alhear. As consequências são devastadoras e muitas delas imprevisíveis, podendo arrastar a falência de todo o sistema financeiro do país.

A solução para um caso destes é clássica e funciona sempre. O Governo coloca-se por detrás do Banco em dificuldades e injecta-lhe dinheiro do Estado até o pânico junto dos clientes desaparecer. No final, a nacionalização é o desfecho mais provável.

No caso do BES, o Governo virou as costas ao assunto, como se ele não lhe dissesse respeito, e entregou-o nas mãos do Banco de Portugal, que não podia fazer muito mais do que aquilo que fez. Inicialmente, a impopularidade da situação, focalizou-se no Governador do Banco de Portugal, mas, nos últimos tempos, tem vindo a deslocar-se para onde deve - o Governo.

Perante a passividade do Governo, de um dia para o outro, desapareceu um dos maiores bancos do país, e o mais antigo de todos, e, em lugar dele, nasceu um Novo Banco, criado por decreto-lei e que, como tal, não podia senão ser um nado-morto, como agora se está a ver. Ninguém o quer.

Milhares e milhares de pessoas viram traída a confiança (que o Estado deveria ter garantido) na mais antiga instituição bancária do país e, de um momento para o outro, as poupanças de uma vida esfumaram-se; empresas em actividade com linhas de crédito concedidas pelo BES sufocaram de repente; outros bancos com aplicações em activos do grupo BES ficaram ainda mais fragilizados. Não é surpreendente que as acções do BCP valham agora em Bolsa menos de cinco cêntimos e as do Banif já nem meio cêntimo valham.

No manual de instruções que um dia se venha a elaborar acerca de "Como arruinar um país", a acção do Governo no caso BES constituirá um capítulo central.

 

Pedro Arroja

twitter facebook Google plus imprimir

+ notícias: Legislativas

PaF elege três deputados e PS um na votação no estrangeiro

A coligação Portugal à Frente (PSD/CDS) conquistou hoje três dos quatro mandatos pelos círculos da Europa e fora da Europa nas eleições legislativas de quatro de outubro, enquanto o PS elegeu o restante.

Coligação PàF e PS partilham deputados na Europa

A coligação Portugal à Frente (PàF) e o PS partilham os dois deputados atribuídos pelo círculo da Europa, mas a lista conjunta PSD/CDS foi a mais votada, alcançando o melhor resultado desde 1991.

Passos diz que coligação PSD/CDS-PP procurará entendimentos com o PS no parlamento

O presidente dos sociais-democratas afirmou no domingo que a coligação PSD/CDS-PP, sem maioria absoluta, procurará entendimentos com o PS no parlamento para fazer reformas como a da Segurança Social e irá ao encontro de todas as forças europeístas.

Últimas notícias

Requalificação do Matadouro. Segunda fase das obras já arrancou com fim previsto para 2025Portugal não enviará caças F-16 para a Ucrânia, mas Costa garante envio de três tanques em marçoNovo impasse na JMJ. Erro na contagem de votos chumba empréstimo de 15,3 milhões de eurosDia nacional de protesto. CGTP organiza greves e manifestações em vários pontos do país"Não há qualquer comboio a circular neste momento". Greve dos maquinistas da CP com adesão total até às 7h