OE2014: Corte entre 2,5% e 12% nos salários dos funcionários públicos é transitório

OE2014: Corte entre 2,5% e 12% nos salários dos funcionários públicos é transitório
| Política
Porto Canal

O corte nos salários dos trabalhadores em funções públicas será transitório, aplicando um corte entre 2,5% e 12%, às remunerações mensais superiores a 600 euros, segundo o relatório preliminar do Orçamento do Estado para 2014.

"Será aplicada uma redução remuneratória progressiva entre 2,5% e 12%, com caráter transitório, às remunerações mensais superiores a 600 euros de todos os trabalhadores das Administrações Públicas e do Setor Empresarial do Estado, sem qualquer exceção, bem como dos titulares de cargos políticos e outros altos cargos públicos", diz o documento a que Agência Lusa teve acesso.

O Governo garante o que "serão todavia protegidos os rendimentos mensais até 600 euros, uma vez que se estabelece que os trabalhadores com remunerações iguais ou inferiores a este valor não são sujeitos à redução e que se assegura que os trabalhadores sujeitos à medida nunca receberão uma remuneração mensal inferior a 600 euros".

Este corte substitui os cortes entre 3,5% e 10% que entraram no Orçamento do Estado para 2011, mas que se aplicavam a partir dos 1.500 euros.

+ notícias: Política

França disponível para "revisitar" interligações ibéricas de energia

O secretário de Estado português dos Assuntos Europeus, Tiago Antunes, obteve esta terça-feira da sua homóloga gaulesa disponibilidade para "revisitar" a questão das interligações ibéricas de energia, em encontro até ao final do ano com Portugal e Espanha.

Fim da propina para ensino de português no estrangeiro não passará no parlamento, afirma Paulo Pisco

Os pareceres do BE, PCP e PAN sobre a eliminação da propina para o ensino de português no estrangeiro foram esta terça-feira votados favoravelmente em comissão parlamentar, uma intenção que não passará no parlamento, segundo o deputado socialista Paulo Pisco.

MAI diz que novo plano de investimentos para forças de segurança é oportunidade para o país

O ministro da Administração Interna disse esta terça-feira que o novo plano de investimento em infraestruturas e equipamentos das forças de segurança até 2026 é “uma oportunidade” para o país e para a resolução dos problemas das polícias.