Info

Jorge Tomé afirma que a venda do Banif foi "desastrosa"

Jorge Tomé afirma que a venda do Banif foi "desastrosa"
| Economia
Porto Canal

O ex-presidente do Banif, Jorge Tomé, afirma que a venda do Banif ao banco Santander Totta foi desatrosa. O Ex-CEO do banco insular pede agora uma investigação criminal ao caso e garante que não havia buraco nas contas.

 

Jorge Tomé, em entrevista ao programa Negócios da Semana da SIC, afirma nunca ter sido notificado sobre a operação comandada pelo Banco de Portugal. Sobre o Santander o ex-CEO reage com estranheza à forma como tudo aconteceu lançando até a suspeita que o banco espanhol até pode ter sido contactado antes de se candidatar.

"Não há buraco nenhum nas contas. As contas estavam direitinhas e limpinhas", garante Jorge Tomé.

Todas as contas eram “auditadas e validadas semestralmente com concordância do Banco de Portugal, que tinha dois administradores e uma comissão de auditoria do Ministério das Finanças. Não há nenhum problema com as contas do Banif”.

O ex-presidente considera que a notícia da TVi, que dava conta de uma possível intervenção no banco, "episódio lamentável e criminoso". Episódio que diz ter "penalizado o banco que perdeu mil milhões de euros em depósitos em apenas cinco dias".

O banqueiro defende uma investigação criminal ao que se está a passar com o Banif afirmando até que "se devia fazer uma auditoria ao processo de venda do banco comparando as alternativas que existiam" e lamenta que “a gestão do banco aparece de repente como se fossemos bandidos”.

Jorge Tomé diz també que a solução encontrada irá servir para recapitalizar Fundo de Resolução.

"Os activos transferidos para o veículo Naviget vão ser vendidos e vão criar mais-valias, logo vão recapitalizar o Fundo", afirma o banqueiro.

+ notícias: Economia

Arranque da semana marcado com novo aumento dos combustíveis  

O arranque desta semana fica marcado com um novo aumento dos combustíveis, com a gasolina a aumentar um cêntimo e o gasóleo a rondar uma subida de dois cêntimos por litro. Com o pouco movimento que o Porto Canal verificou na manhã desta segunda-feira, os Portuenses optaram por abastecer o depósito no fim de semana.

Covid-19: Adesão a pagamento fracionado do IVA não exige quebra de faturação de 10%

As micro e pequenas empresas que pretendam aderir ao pagamento fracionado do IVA e retenções na fonte do IRS e IRC podem fazê-lo mesmo que não tenham registado uma quebra de faturação de 10%, segundo um despacho agora publicado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS