Sindicato dos Quadros Bancários contra despedimentos no Banif e Novo Banco

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 16 dez (Lusa) - As situações do Banif e do Novo Banco estão a causar "apreensão" entre os trabalhadores das duas entidades, destacou hoje o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB), sublinhando que acompanha os desenvolvimentos de forma "atenta e interveniente".

Sobre o futuro imediato do Banif, o SNQTB disse em comunicado que "acompanha muito de perto a situação e as notícias que têm sido divulgadas, aguardando porém que as entidades que intervêm neste processo, quer a nível nacional, quer europeu, se pronunciem e anunciem as medidas que serão tomadas, para que a direção do sindicato as analise cuidadosamente e intervenha em conformidade".

Para tal, o SNQTB solicitou uma reunião com a administração do banco, prevendo que a mesma possa ocorrer nos próximos dias.

"O processo de reestruturação do Novo Banco é também uma situação que preocupa o SNQTB, que está a ser seguida muito atentamente e também de forma ativa pela direção do sindicato, nomeadamente por força das notícias vindas a público sobre possíveis despedimentos massivos de trabalhadores", salientou o sindicato liderado por Afonso Diz.

Na segunda-feira (14 de dezembro), o SNQTB reuniu com responsáveis do Novo Banco, reunião na qual esteve presente o presidente do Conselho de Administração, Eduardo Stock da Cunha.

"Nesta reunião, o SNQTB obteve uma série de informações por parte dos responsáveis do Novo Banco e decidiu solicitar a realização de reuniões urgentes com o Governo e o Banco de Portugal, dado que estas entidades são interlocutores da Autoridade Europeia da Concorrência (DGCOMP), com vista a obter informações adicionais sobre o processo de reestruturação do Novo Banco", lê-se no comunicado.

"Em ambos os casos o Sindicato manifesta a sua preocupação com os postos de trabalho, com o encerramento de agências e políticas de mobilidade, recordando que todo o setor financeiro pode ser reputacionalmente afetado por decisões que sejam tomadas com menor ponderação do que a exigível", finalizou o SNQTB.

DN // ATR

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Portugueses ainda poupam a comprar em Espanha mas diferença de preço é menor

Os preços mais atrativos continuam a levar portugueses a atravessar a fronteira para fazer compras em supermercados espanhóis, mas a diferença tem-se esbatido e é sentida apenas em alguns produtos, como os de higiene ou detergentes, disseram à Lusa vários consumidores.

Combustíveis. Redução da carga fiscal atinge 35,9 cêntimos no gasóleo e 34,8 na gasolina

A redução da carga fiscal sobre os combustíveis, em fevereiro, atinge 35,9 cêntimos por litro de gasóleo e 34,8 cêntimos no caso da gasolina, indicou o Ministério das Finanças.

Bruxelas elogia cortes "permanentes de despesa" anunciados pelo Governo

A Comissão Europeia saudou hoje o facto de as medidas anunciadas pelo primeiro-ministro se basearem em "reduções permanentes de despesa" e destacou a importância de existir um "forte compromisso" do Governo na concretização do programa de ajustamento.