Comissão Europeia quer ouvir Centeno "muito rapidamente"- Moscovici

| Política
Porto Canal com Lusa

Bruxelas, 26 nov (Lusa) -- A Comissão Europeia vai entrar em contacto "muito rapidamente" com o novo ministro das Finanças, Mário Centeno, para conhecer as "intenções" do novo Governo português, disse hoje o comissário europeu dos Assuntos Económicos.

Questionado sobre se a Comissão Europeia está preocupada por o novo Governo socialista que toma hoje posse -- com o apoio de Bloco de Esquerda e PCP -- ter anunciado uma inversão nas políticas de austeridade, Pierre Moscovici disse que a Comissão não tem "qualquer razão para ter suspeitas «a priori»" de que Portugal não cumprirá os seus compromissos, do mesmo modo que "também não há qualquer razão de passar antecipadamente um cheque em branco".

Moscovici, que falava na conferência de imprensa de apresentação do lançamento de um novo ciclo do "semestre europeu" de coordenação das políticas económicas e orçamentais na União Europeia, lembrou que "o primeiro-ministro António Costa já confirmou" que Portugal vai honrar os seus compromissos europeus, e apontou que a Comissão quer saber muito em breve de que modo o pretende fazer.

"Vamos entrar em contacto com o novo ministro das Finanças (Mário Centeno) muito rapidamente, para saber quais são as suas intenções e as intenções do Governo relativamente ao respeito dos compromissos europeus de Portugal, que o primeiro-ministro António Costa confirmou (que pretende respeitar). Vamos ver em que condições" o pretende fazer, declarou o comissário.

ACC// ATR

Lusa/fim

+ notícias: Política

Ensino superior terá aumento de 3,7% e tutela retoma fórmula de financiamento

O ensino superior deverá contar com um aumento de 44 milhões de euros no Orçamento do Estado para 2023, mais 3,7% face a 2022, anunciou esta quarta-feira a tutela, adiantando também que vai voltar a aplicar a fórmula de financiamento.

Marcelo promulga decreto de execução orçamental

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, promulgou o documento do Governo que estabelece as regras de execução do Orçamento do Estado para 2022, avança a RTP.

Fenprof critica não ter sido informada de 7.500 juntas médicas a docentes

A Fenprof criticou hoje o Ministério da Educação (ME) por ter omitido a eventual realização de cerca de 7.500 juntas médicas a professores com doenças incapacitantes, que a concretizarem-se transformam o novo regime de mobilidade numa “verdadeira inutilidade”.