Paulo Portas recusa comentar libertação de Sócrates

| País
Porto Canal com Lusa

O líder do CDS-PP e vice-primeiro-ministro em exercício, Paulo Portas, recusou hoje comentar a libertação do ex-primeiro-ministro José Sócrates, reiterando a posição segundo a qual "os responsáveis políticos não devem interferir nas questões judiciais".

"Só direi o que sempre disse sobre qualquer processo judicial: à política o que é da política, à justiça o que é da justiça. Os responsáveis políticos não devem interferir nas questões judiciais", declarou Paulo Portas.

Portas falava à margem de um encontro em Lisboa de uma delegação do PSD e do CDS-PP com a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP).

O ex-primeiro-ministro José Sócrates foi libertado hoje, embora fique proibido de se ausentar de Portugal e de contactar com outros arguidos do processo da "Operação Marquês", informou o Ministério Público (MP).

+ notícias: País

Fisco vai avaliar e atualizar matrizes das barragens para cobrar IMI

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai fazer uma avaliação e atualização das matrizes das barragens e avançar com a cobrança do IMI desta tipologia de bens, segundo determina um despacho do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Nuno Félix.

Período de transição entre contratos do SIRESP vai custar ao Estado 7,4 milhões de euros

O período de transição vai custar, ao Estado, 1,2 milhões de euros por mês. De acordo com o Jornal de Notícias, o processo só deverá estar concluído no final de junho.

Primeiro prazo para reforço do poder das regiões já falhou

O prazo para o reforço do poder das regiões, no âmbito da transferência de competências das direcções regionais para as CCDR, seria o fim de janeiro. No entanto, de acordo com o jornal Público, o diploma ainda não está concluído.