Casos suspeitos com alimentos disponíveis em plataforma de acesso europeu

| País
Porto Canal / Agências

Lisboa, 07 abr (Lusa) -- Os casos suspeitos na alimentação que envolvam contaminantes químicos, aditivos alimentares e resíduos de pesticidas vão estar disponíveis numa base de dados que envolve várias entidades portuguesas e que poderá ser consultada por outros organismos europeus.

Para a criação deste sistema nacional de gestão de dados do controlo oficial de alimentos será quarta-feira assinado um protocolo entre o Instituto Ricardo Jorge, a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária e o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

Estes organismos participam no projeto-piloto do SSD2, uma plataforma de dados do controlo oficial de alimentos que "será uma ferramenta adequada e eficaz na harmonização da comunicação de dados entre Portugal e a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA).

O presidente do INSA, Fernando de Almeida, explicou à agência Lusa que a grande vantagem deste projeto é a possibilidade de "todos [os organismos dos vários países europeus] poderem saber ao mesmo tempo, e online, através de uma comunicação estandardizada e por todos percetível, qualquer problema que surja com alimentos".

"Antes, cada um comunicava à sua maneira, mas esta plataforma vai permitir que os vários organismos estejam em comunicação permanente com tudo o que se passa nos países europeus, nomeadamente ao nível dos problemas que envolvam químicos, aditivos alimentares e pesticidas", adiantou.

O protocolo será assinado na quarta-feira, no âmbito das celebrações do Dia Mundial da Saúde, que se assinala hoje e é este ano dedicado ao tema da segurança alimentar.

Ainda na quarta-feira terá lugar a primeira reunião entre os representantes dos organismos que assinam o protocolo, devendo começar de imediato o trabalho no projeto.

SMM // SO

Lusa/Fim

+ notícias: País

Marcelo de olhos postos no incêndio que devasta Ourém: “Vamos ver se é preciso reforçar esses meios ao longo da noite"

Marcelo Rebelo de Sousa afirmou, esta sexta-feira, estar a acompanhar a evolução do incêndio em Ourém e referiu que "os meios que foram mobilizados eram aqueles que eram considerados os possíveis e adequados para uma situação que estava complicada". 

Proteção Civil assegura que incêndio na Serra da Estrela ainda necessita de "muito trabalho de vigilância e consolidação"

O incêndio na Serra da Estrela já foi dominado, mas no terreno ainda se encontram mais de 700 operacionais apoiados por duas centenas de veículos. Em declarações ao Porto Canal, o Segundo Comandante Regional da Proteção Civil do Centro, Miguel Teixeira, referiu que para já ainda é necessário "muito trabalho de vigilância e consolidação", porque "as condições meteorológicas ainda não estão completamente favoráveis para a extinção completa".

25% do Parque Natural da Serra da Estrela atingido por fogos desde julho

O Parque Natural da Serra da Estrela foi atingido, desde julho, por cinco grandes incêndios que afetaram 25% da sua área total e causaram efeitos negativos "muito significativos em locais de sensibilidade ecológica elevada", divulgou hoje o ICNF.