Info

Deputado do PS questiona falta de investimento em acessos a Paredes de Coura

| Norte
Fonte: Agência Lusa

Viana do Castelo, 08 jan (Lusa) - O deputado socialista Jorge Fão quer saber qual é justificação para a não inclusão da melhoria dos acessos rodoviários a Paredes de Coura no plano de investimentos da empresa Estradas de Portugal (EP) para o período 2015-2019.

Para o deputado eleito pelo Alto Minho, Paredes de Coura é o concelho do distrito de Viana do Castelo "com piores acessibilidades rodoviárias, o que penaliza fortemente as condições de mobilidade de pessoas e mercadorias, estrangulando dessa forma o desenvolvimento económico e o bem-estar da população".

"Estranhamente e com lamento e crítica da nossa parte, a melhoria dos acessos rodoviários a Paredes de Coura, a partir das A3 e A 28, através das estradas nacionais 302 e 303 não são objeto de qualquer referência neste documento e, portanto, constata-se não estar previsto investimento da EP nestas acessibilidades no próximo período temporal 2015-2019", lê-se no requerimento apresentado esta quarta-feira na Assembleia da República (AR).

Na pergunta que apresentou, hoje enviada à Lusa, Jorge Fão quer saber do Ministério da Economia se "existe algum estudo e projeto de execução da melhoria das acessibilidades rodoviárias ao concelho de Paredes de Coura" e, em caso afirmativo, que soluções técnicas são preconizadas" e quando prevê o Governo que esse estudo "possa estar concluído e ser apresentado publicamente".

Por não constar do plano de investimentos da EP, recentemente apresentado, Jorge Fão quer ainda saber "onde prevê o Ministério da Economia enquadrar o desenvolvimento deste projeto e a captação dos recursos financeiros necessários à sua concretização".

Jorge Fão classificou de "imprescindível" a melhoria das condições de acessibilidades do concelho de Paredes de Coura à A3 e à A28 e, concomitantemente, à Galiza (através da ligação A3 - Ponte Internacional de Valença do Minho) " para promover a competitividade das empresas instaladas naquele concelho.

Entre vários exemplos apontou o Grupo Kyaia, empresa portuguesa do sector do calçado, detentora das marcas Fly London e Foreva), implantada em Paredes de Coura há 25 anos, dispondo de seis unidades fabris que empregam 230 trabalhadores.

Ainda Doureca e Grupo Dourdin, do setor automóvel que dispõe de duas unidades fabris de produção e que emprega 240 trabalhadores, a ValverIbérica, que produz artigos plásticos, tem 80 trabalhadores e está a construir uma nova unidade de injeção plástico, a MGI Coutier Lusitânia, empresa portuguesa que integra o grupo internacional MGI Coutier e que está em fase de instalação no concelho prevendo-se que venha a empregar 160 trabalhadores.

O deputado destaca ainda, no plano agrícola, a Coopcoura - Cooperativa Agrícola de Paredes de Coura é, atualmente, entre as 44 cooperantes da União de Cooperativas do Norte (Agros), a terceira maior ao nível da produção média de leite.

Investimentos que, segundo Jorge Fão, justificam a melhoria das acessibilidades rodoviárias àquele concelho do Alto Minho como forma de "aumentar a atratividade dos parques empresariais de Formariz e Castanheira e das atividades turísticas e de animação reforçando a integração de Paredes de Coura no mercado regional de emprego do Alto Minho".

ABYC // JGJ

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Fogo em Santa Maria da Feira combatido por 116 operacionais e cinco meios aéreos

Um incêndio em mato e floresta deflagrou hoje nas freguesias de Canedo, Vale e Vila Maior, concelho de Santa Maria da Feira (Aveiro) e está a ser combatido por 116 operacionais, com 32 viaturas e cinco meios aéreos.

Motociclista morre em colisão numa rotunda em Viana do Castelo

Um motociclista de 54 anos morreu hoje em Viana do Castelo na sequência duma colisão com um veículo ligeiro de passageiros, avançou à Lusa fonte da Cruz Vermelha de Aldreu (Barcelos).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.