Viticultores do Douro tentam arranjar compradores para a uva antes da vindima

Viticultores do Douro tentam arranjar compradores para a uva antes da vindima
| Norte
Porto Canal/Agências

A viticultora Teresa Barbosa ficou “sem chão” em 2023 quando confrontada com uma dificuldade inesperada de escoar a produção e, por isso, idealizou realizar a primeira Mostra da Uva do Douro para agilizar a comercialização.

A mostra, que ao invés de vinho quer transacionar uva, realiza-se entre esta sexta-feira e sábado, em Sabrosa, distrito de Vila Real, e junta cerca de 30 viticultores a potenciais compradores da Região Demarcada do Douro.

“No ano passado, a empresa a quem nós vendíamos comunicou-me um mês antes da vindima que só iria ficar com parte da produção. Fiquei sem chão e a pensar onde iria colocar o resto das uvas”, afirmou a produtora, que tem vinha em Celeirós do Douro, no concelho de Sabrosa.

Teresa Barbosa desdobrou-se em contactos pela região e acabou por conseguir vender a restante uva a três novos compradores.

Perante a dificuldade sentida pela primeira vez em 2023, a viticultora idealizou a realização de um evento que permite aumentar, aos produtores, a carteira de contactos com casas comerciais, enólogos ou até restaurantes que queiram fazer vinho.

Na Mostra da Uva do Douro há, essencialmente, uma troca de dados, como, por exemplo, a localização da vinha, as castas de uvas ou quantidades.

“É como se fosse um menu”, afirmou a responsável, salientando que ao realizar-se nesta altura permite aos compradores a visita às propriedades e ver a evolução da uva.

Na região teme-se um agravar das dificuldades sentidas na última vindima relativamente à venda de uvas e ao preço e já há operadores que informaram agricultores que não vão ao mercado devido a um excesso de ‘stock’ de vinho.

“Este ano vai ser muito pior”, considerou Teresa Barbosa, que perfectiva cortes na quantidade de uva a transacionar e no valor, adiantando que já estão a tentar comprar “uvas sem preço”.

Isto num ano em que a instabilidade meteorológica, com bastante chuva, tem obrigado à realização de mais tratamentos na vinha, o que aumenta ainda mais os custos de produção. A viticultora disse que já fez sete tratamentos este ano.

A mostra é organizada em conjunto pela Associação dos Viticultores Profissionais do Douro (Prodouro) e a Câmara de Sabrosa.

Rui Soares, presidente da Prodouro, disse que o evento quer ajudar os viticultores a comercializarem as suas uvas e defendeu soluções, antes da vindima, para evitar os constrangimentos verificados no ano passado.

“Temos que prevenir o cenário de 2023”, frisou, lembrando as grandes filas de produtores à porta das adegas onde tentavam deixar a sua produção.

Importante, para o dirigente, é que a uva não seja vendida a qualquer preço, mas ao “preço justo”.

“Que deixe ficar remuneração ao viticultor e que lhe permita ganhar dinheiro, porque esta é uma atividade económica como outra qualquer. Precisamos que os negócios sejam feitos, mas sejam feitos a preço justo”, defendeu.

Rui Soares mostrou-se ainda preocupado com os “sinais alarmantes”, já que surgem informações de mais operadores que estão a informar os viticultores de que ou não querem uva ou a porem limites às quantidades de uva que podem entregar na vindima de 2024.

“Temos um problema de gestão de ‘stocks’, um problema nacional e transversal a todo o país, e agravamos o problema com a importação de vinho que vem da União Europeia, nomeadamente de Espanha”, afirmou ainda Rui Soares.

+ notícias: Norte

Cobra assusta moradores de casa em Esposende e acaba resgatada

Uma cobra de escada foi resgatada, na noite desta segunda-feira, do interior de uma habitação na freguesia de S.Bartolomeu do Mar, em Esposende. O alerta às autoridades foi dado pelos moradores. 

Homem de 41 anos detido por provocar incêndio em Carrazeda de Ansiães

A Guarda Nacional Republicana (GNR) constituiu arguido um homem de 41 anos em Marzagão, Carrazeda de Ansiães, por ter ateado um incêndio de forma negligente enquanto manuseava uma motorroçadora, informou esta terça-feira a autoridade.

Há 400 presépios para ver em Barcelos

Em Barcelos desde o início deste mês que estão em exposição em vários espaços mais de 400 presépios de artesãos do concelho. Uma óptima oportunidade para conhecer mais e melhor do artesanato barcelense.