Câmara do Porto voltará a recomendar fim das portagens na A41 ao Governo

Câmara do Porto voltará a recomendar fim das portagens na A41 ao Governo
Foto: Pedro Benjamim | Porto Canal
| Porto
João Nogueira

A abolição das portagens na A41 (CREP) voltou a ser discutida na Assembleia Municipal do Porto, esta segunda-feira. Através da recomendação, a CDU expôs a indignação pelo facto de a via não estar incluída na lista de autoestradas sem portagens, feita pela Assembleia da República recentemente. A proposta, votada por pontos, foi aprovada por maioria dos partidos.

O problema não é novo e há muito que se fala sobre os constrangimentos de trânsito na VCI, causado pelos veículos que fogem das portagens em autoestradas como a A41.
Na proposta, a CDU argumenta que eliminar as portagens na A41 levaria muitos condutores a escolherem aquela via, reduzindo o congestionamento e os acidentes na VCI.

A proposta surge após a recente decisão da Assembleia da República em abolir portagens em várias autoestradas, mas não na A41. Mas não é nova.

Em novembro de 2023, a Assembleia Municipal do Porto aprovou instar o Governo a isentar os transportes pesados de mercadorias das portagens para diminuir o seu tráfego na VCI.

+ notícias: Porto

“Um verdadeiro rali”. Boavista é palco de corridas ilegais em plena luz do dia

A proximidade ao centro da cidade, a densificada rede de transportes e a diversidade de serviços fazem da Boavista uma das zonas mais cobiçadas do Porto. E é nas ruas adjacentes à Avenida da França que nas últimas semanas têm decorrido corridas de alta velocidade que, de acordo com os relatos dos moradores, são organizadas por pessoas em situação de sem abrigo que pernoitam nas imediações.

Concelhia do PSD do Porto vai a votos no sábado

A Comissão Política Concelhia do PSD do Porto vai a votos no sábado com o deputado Alberto Machado, que se recandidata à liderança, e Francisco Carvalho, líder de bancada do PSD na Assembleia de Freguesia de Ramalde.

Proteção de dados “trava” aquisição de mais 117 câmaras de videovigilância no Porto

A Câmara Municipal do Porto ainda não conseguiu adquirir as 117 novas câmaras de videovigilância para as quais lançou um concurso público há cerca de um ano. Em causa está a falta de um parecer da Comissão Nacional da Proteção de Dados (CNPD), o que tem impedido o Tribunal de Contas de dar ‘luz verde’ ao município.