Info

Taxas Euribor inalteradas a três meses e descem nos prazos mais longos

| Economia
Fonte: Agência Lusa

Lisboa, 25 jul (Lusa) -- As taxas Euribor desceram hoje 0,001 pontos percentuais a seis, nove e 12 meses e mantiveram-se inalteradas a três meses em relação a sexta-feira.

A Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação, desceu 0,001 pontos percentuais, ao ser fixada em 0,306%.

Nos prazos de nove e 12 meses, as Euribor também desceram 0,001 pontos percentuais, ao serem fixadas respetivamente em 0,398% e 0,489%.

A três meses, a Euribor manteve-se inalterada, ao ser fixada de novo em 0,209%.

Na reunião mensal de julho, o Conselho de Governadores do Banco Central Europeu (BCE) deixou inalteradas as medidas de política monetária anunciadas em junho.

A 05 de junho, o BCE tinha cortado a taxa de juro diretora em 0,10 pontos percentuais para o novo mínimo histórico de 0,15% e anunciou a realização de duas injeções de liquidez de longo prazo (quatro anos), em setembro e dezembro deste ano, no valor de 400 mil milhões de euros, destinadas a serem emprestadas pela banca a empresas e famílias.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

MC // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Governo aponta para aumento de mais oito mil estudantes bolseiros no superior

O valor das bolsas dos alunos do ensino superior aumentou e deverá haver mais oito mil bolseiros do que no ano passado, porque as regras são mais abrangentes e o processo está simplificado, anunciou a tutela.

Portugal no 'top' 20 dos maiores produtores mundiais de calçado

Portugal surge no 'top' 20 dos maiores produtores de calçado, um "grupo restrito" onde, da Europa apenas constam mais Itália e Espanha, num setor em que 87,4% da produção mundial vem da Ásia, respondendo a China por 55,5%.

Norte de Portugal e Galiza querem apoios comunitários investidos nas PME

Presidentes de câmara da Galiza e Norte de Portugal defenderam hoje, por unanimidade, que os fundos comunitários disponibilizados para a recuperação da crise pandémica devem ser aplicados nos setores produtivos da eurorregião.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.