Info

Porto de Leixões movimenta 8,8 milhões de toneladas no primeiro semestre de 2014

| Economia
Fonte: Agência Lusa

Porto, 28 jul (Lusa) -- A Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL) divulgou hoje que o Porto de Leixões atingiu no primeiro semestre de 2014 "um valor recorde de 8,8 milhões de toneladas" de mercadorias movimentadas, crescendo "4,2% face ao período homólogo do ano anterior".

Em comunicado, a APDL esclarece que este crescimento foi "alicerçado no aumento de 9% das exportações" e destaca Angola (mais 19%) e França (43%) como "os países de destino que mais contribuíram" para o aumento.

Quanto aos materiais mais exportados, aquela entidade destaca "o crescimento verificado nos cubos de granito (mais 24%) e no papel e cartão (mais 37%).

A APDL sustenta que "a evolução do semestre foi positiva na carga contentorizada (mais 8%), nos granéis líquidos (3%) e no Ro-Ro, com mais 835%, segmento cujo "forte crescimento posicionou Leixões em primeiro lugar no ranking nacional".

O serviço Ro-Ro liga os portos de Leixões e Roterdão através de um navio que opera no terminal multiusos beneficiando da sua rampa de 26 metros, explica a página da Internet da APDL.

"Por outro lado, verificaram-se quebras nos granéis sólidos (menos 11%) e na carga fracionada (menos 2%). O movimento de contentores registou um aumento de 10%", acrescenta a APDL.

ACG // JGJ

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Governo aponta para aumento de mais oito mil estudantes bolseiros no superior

O valor das bolsas dos alunos do ensino superior aumentou e deverá haver mais oito mil bolseiros do que no ano passado, porque as regras são mais abrangentes e o processo está simplificado, anunciou a tutela.

Portugal no 'top' 20 dos maiores produtores mundiais de calçado

Portugal surge no 'top' 20 dos maiores produtores de calçado, um "grupo restrito" onde, da Europa apenas constam mais Itália e Espanha, num setor em que 87,4% da produção mundial vem da Ásia, respondendo a China por 55,5%.

Norte de Portugal e Galiza querem apoios comunitários investidos nas PME

Presidentes de câmara da Galiza e Norte de Portugal defenderam hoje, por unanimidade, que os fundos comunitários disponibilizados para a recuperação da crise pandémica devem ser aplicados nos setores produtivos da eurorregião.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.