Info

Banco de Portugal reforça que depositantes do BES podem estar tranquilos

Banco de Portugal reforça que depositantes do BES podem estar tranquilos
| Economia
Porto Canal

O Banco de Portugal voltou hoje a assegurar que o dinheiro confiado aos Banco Espírito Santo (BES) está seguro e que os depositantes do banco podem estar tranquilos quanto às suas poupanças.

"Não existem motivos que comprometam a segurança dos fundos confiados ao BES, pelo que os seus depositantes podem estar tranquilos", realçou o supervisor num documento em que faz a compilação de esclarecimentos prestados relacionados com a situação do BES.

O supervisor bancário apontou para a proteção dos depositantes, que está consagrada na lei, e que "constitui prioridade máxima do Banco de Portugal em qualquer situação".

A entidade liderada por Carlos Costa realçou ainda que "os clientes bancários têm garantido o reembolso do(s) depósito(s) que efetuaram numa dada instituição até ao montante de 100 mil euros", cuja garantia é dada pelo Fundo de Garantia de Depósitos (FGD), e que a mesma é válida "por instituição e por depositante".

A exceção são os depósitos junto da Caixa Central de Crédito Agrícola Mútuo e das Caixas de Crédito Agrícola Mútuo, cuja garantia é assegurada pelo Fundo de Garantia do Crédito Agrícola Mútuo.

Entre vários pontos enumerados, o Banco de Portugal informou que "a situação de solvabilidade do BES foi significativamente reforçada com o recente aumento de capital, o que deverá permitir absorver eventuais impactos negativos que resultem da materialização de riscos no ramo não financeiro do Grupo Espírito Santo" (GES), do qual o BES é o principal ativo.

E reforçou: "Atendendo ao plano apresentado pelo BES, considera-se que este banco possui mecanismos adequados para fazer face a um evento extremo, o que permitirá dar cumprimento aos níveis de solvabilidade exigidos, sem pôr em causa a continuidade da sua atividade e o seu papel de agente financiador da economia".

De resto, já na semana passada, numa audição no Parlamento, o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, tinha dado esta informação aos deputados.

Quanto à situação do BES Angola (BESA), tal como na audição de Carlos Costa da semana passada, o supervisor volta a dizer que "não antecipa um impacto negativo relevante na posição de capital do BES resultante da situação financeira da subsidiária" africana.

"Tendo presente o elevado nível de interação entre as autoridades de ambos os países, o Banco de Portugal espera que a situação desta filial seja clarificada no curto prazo e sem impacto material no BES", sublinhou.

+ notícias: Economia

Governo aponta para aumento de mais oito mil estudantes bolseiros no superior

O valor das bolsas dos alunos do ensino superior aumentou e deverá haver mais oito mil bolseiros do que no ano passado, porque as regras são mais abrangentes e o processo está simplificado, anunciou a tutela.

Portugal no 'top' 20 dos maiores produtores mundiais de calçado

Portugal surge no 'top' 20 dos maiores produtores de calçado, um "grupo restrito" onde, da Europa apenas constam mais Itália e Espanha, num setor em que 87,4% da produção mundial vem da Ásia, respondendo a China por 55,5%.

Norte de Portugal e Galiza querem apoios comunitários investidos nas PME

Presidentes de câmara da Galiza e Norte de Portugal defenderam hoje, por unanimidade, que os fundos comunitários disponibilizados para a recuperação da crise pandémica devem ser aplicados nos setores produtivos da eurorregião.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.