Info

Receitas da Vodafone caíram 4,2% no 2º trimestre

| Economia
Fonte: Agência Lusa

Londres, 25 jul (Lusa) - A Vodafone obteve receitas de 9.446 milhões de libras (11.913 milhões de euros) no segundo trimestre deste ano, menos 4,2% que no período homólogo de 2013, anunciou hoje a operadora de telecomunicações.

Num comunicado enviado à Bolsa de Valores de Londres, a operadora indicou que a faturação total do grupo, incluindo as vendas de telemóveis e outros produtos, foi de 10.204 milhões de libras (12.868 milhões de euros), menos 4,4% que no mesmo período de 2013.

"O ano começou segundo as nossas expetativas. De acordo com as nossas ações comerciais e os nossos investimentos, a nossa rentabilidade está a começar a estabilizar-se em vários mercados europeus, com o apetite dos clientes pelos serviços 'G4' claramente a crescer", sublinhou hoje numa nota o conselheiro delegado da Vodafone, Vittorio Colao.

Colao também sublinhou que a operadora detetou "um crescimento muito sólido na procura da Internet na Índia".

Por zonas geográficas, a Vodafone revelou que no segundo trimestre de 2014 - que é o primeiro trimestre do ano fiscal no Reino Unido - as receitas de serviços de telefone da companhia caíram na europa 7,9% face ao mesmo período de 2013 para 6.450 milhões de libras (8.132 milhões de euros).

Em contrapartida, as receitas da operadora em África, Médio Oriente e Ásia Pacífico aumentaram 4,7% para se cifrarem em 2.894 milhões de libras (3.649 milhões de euros).

MC // ATR

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Governo aponta para aumento de mais oito mil estudantes bolseiros no superior

O valor das bolsas dos alunos do ensino superior aumentou e deverá haver mais oito mil bolseiros do que no ano passado, porque as regras são mais abrangentes e o processo está simplificado, anunciou a tutela.

Portugal no 'top' 20 dos maiores produtores mundiais de calçado

Portugal surge no 'top' 20 dos maiores produtores de calçado, um "grupo restrito" onde, da Europa apenas constam mais Itália e Espanha, num setor em que 87,4% da produção mundial vem da Ásia, respondendo a China por 55,5%.

Norte de Portugal e Galiza querem apoios comunitários investidos nas PME

Presidentes de câmara da Galiza e Norte de Portugal defenderam hoje, por unanimidade, que os fundos comunitários disponibilizados para a recuperação da crise pandémica devem ser aplicados nos setores produtivos da eurorregião.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.