Céline Dion diagnosticada com doença neurológica rara e incurável

Céline Dion diagnosticada com doença neurológica rara e incurável
| Mundo
Porto Canal

A cantora canadiana Céline Dion anunciou, esta quinta-feira, que foi recentemente diagnosticada com uma doença neurológica grave e incurável, que afeta cerca de uma pessoa em cada um milhão, síndrome de Moersch-Woltmann - também conhecida como síndrome de pessoa rígida (SPR).

Num vídeo de cinco minutos publicado no Instagram, a artista explicou, emocionada, em francês e inglês, que sofre de "problemas de saúde de longo prazo".

"Olá a todos, lamento ter demorado tanto a falar com vocês. [...] Tenho vindo a lidar com problemas de saúde há muito tempo e tem sido muito difícil para mim enfrentar os meus desafios e falar sobre tudo o que tenho passado", referiu, explicando que a doença é a responsável por "todos os espasmos" que tem sentido e que têm afetado a sua vida diária.

Este problema implica uma rigidez progressiva ao nível muscular. Afeta principalmente as ancas e extremidades, e causa espasmos no paciente.

O problema impede "o uso das cordas vocais", explica Dion no vídeo. "Ainda não se sabe muito sobre esta doença rara, mas agora sabemos que é a causa dos espasmos musculares de que sofro", acrescenta.

Tendo em conta a sua condição, Céline Dion foi obrigada a adiar os seus concertos europeus.

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 

Uma publicação partilhada por Céline Dion (@celinedion)

+ notícias: Mundo

Morreu Paco Rabanne 

O estilista de nome Francisco Rabaneda y Cuervo, mais conhecido como Paco Rabanne, morreu no passado domingo aos 88 anos. Anunciada apenas esta sexta-feira, a sua morte foi confirmada pelo autarca de Vannes, David Robo.

Reveladas imagens do telemóvel da Coca-Cola em parceria com a Realme

Esta sexta-feira foram reveladas imagens do telemóvel que está a ser desenvolvido pela empresa chinesa Realme.

Lula diz ter a certeza que Bolsonaro "participou ativamente" nos ataques em Brasília

O Presidente brasileiro, Lula da Silva, disse esta quinta-feira ter a certeza que o ex-chefe de Estado Jair Bolsonaro "participou ativamente" nos ataques às sedes dos três poderes em Brasília no dia 8 de janeiro.