Governo aprova regras para uso das 'bodycams' por parte dos polícias

| Política
Porto Canal / Agências

O Governo aprovou esta quarta-feira as regras que definem as situações em que os elementos da PSP e GNR podem usar câmaras portáteis nos uniformes, as chamadas 'bodycams’, instrumento que permite proteger simultaneamente os polícias e os cidadãos.

“O Conselho de Ministros tomou uma importante decisão no que diz respeito à proteção dos agentes da autoridade democrática do Estado e, simultaneamente, de proteção dos cidadãos, trata-se das câmaras que são vulgarmente conhecidas por ‘bodycams’”, disse o ministro da Administração Interna, na conferência de imprensa após o Conselho de Ministros.

José Luís Carneiro precisou que tinha sido aprovada na Assembleia da República em 2021 uma nova lei da videovigilância e faltava regulamentar os termos em que as forças de segurança poderiam usar as ‘bodycams’.

“Foi hoje aprovado os termos em que poderão ser utilizadas, procurando salvaguardar dois valores fundamentais: o da transparência no uso legítimo da força por parte das forças policiais, na medida em que ao fazê-lo de forma transparente estão, não apenas a contribuir para aumentar os níveis de confiança nas forças de segurança, e por essa via garantem maior proteção relativamente a atos que atentem contra agentes da autoridade e, simultaneamente, dar proteção aos cidadãos relativamente ao uso dessa mesma força”, afirmou.

A utilização de ‘bodycams' pelos elementos da polícia é uma das reivindicações dos elementos da PSP e da GNR.

+ notícias: Política

Aprovada comissão de inquérito à TAP 

A proposta do BE para constituir uma comissão de inquérito à tutela política da gestão da TAP foi esta sexta-feira aprovada no parlamento, contando com a abstenção do PS e PCP e os votos a favor dos restantes.

Parlamento vive mais um momento de tensão. Chega ergue cartazes contra Catarina Martins e acaba criticado

Depois da confirmação do Parlamento, esta sexta-feira, para a recusa de levantamento da imunidade parlamentar à líder do Bloco de Esquerda, os deputados do Chega levantaram-se e ergueram cartazes com a fotografia de Catarina Martins e com a palavra “impunidade” por baixo, enquanto batiam nas mesas.

PCP agendou para 15 de fevereiro debate no parlamento sobre habitação

O PCP agendou para 15 de fevereiro, com caráter obrigatório, um debate parlamentar sobre habitação, alertando que a subida das taxas de juro está a criar um "cenário de grande dificuldade" para muitas famílias.