Portugal e Roménia. Países reunidos com cooperação entre indústrias de Defesa e Ucrânia no centro da discussão

Portugal e Roménia. Países reunidos com cooperação entre indústrias de Defesa e Ucrânia no centro da discussão
| Mundo
Porto Canal / Agências

A ministra da Defesa Nacional reuniu-se esta segunda-feira com o chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas da Roménia para discutir a cooperação entre indústrias de Defesa dos dois países e a missão de treino da União Europeia de militares ucranianos.

Este encontro foi partilhado na conta oficial do Ministério da Defesa na rede social ‘Twitter’, tendo sido publicada uma fotografia em que também aparece o Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas português, almirante António Silva Ribeiro, ao lado da ministra Helena Carreiras.

 

Segundo a mensagem, foi abordada a “cooperação entre as indústrias de defesa de ambos os países”.

É salientado que Portugal tem militares na Roménia “no âmbito do esforço de dissuasão e defesa da NATO”.

“A missão de treino da União Europeia a militares da Ucrânia, na qual Portugal participa, foi outro dos temas abordados”, refere ainda a mensagem.

Helena Carreiras já tinha afirmado que Portugal vai participar “com até 20 militares” nesta missão de formação militar da UE dirigida ao exército ucraniano.

Em outubro, partiram para a Roménia 166 militares portugueses da 2ª Força Nacional Destacada para uma missão da NATO neste país que tem como objetivo contribuir para o esforço de dissuasão e defesa da Aliança Atlântica no seu flanco sudeste.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, comunicou hoje ao parlamento que tem prevista uma visita antes do Natal aos militares portugueses da Força Nacional Destacada que participa numa missão da NATO na Roménia.

Na carta dirigida à Assembleia da República, o chefe de Estado e Comandante Supremo das Forças Armadas pede "o necessário assentimento" dos deputados para a sua "deslocação à Roménia, nos dias 19 e 20 de dezembro de 2022, a fim de visitar, nas vésperas de Natal" a Força Nacional Destacada neste país.

No dia da invasão da Ucrânia pela Rússia, 24 de fevereiro, o Conselho Superior de Defesa Nacional reuniu-se de urgência e deu parecer favorável, por unanimidade, à eventual participação de meios militares portugueses em forças de prontidão da NATO e à antecipação do envio de militares portugueses para a Roménia.

O plano de forças nacionais destacadas para 2022 já previa o envio de um contingente de militares portugueses para a Roménia no segundo semestre deste ano, como aconteceu em 2021, mas a partida foi antecipada devido ao contexto de guerra entre a Ucrânia e a Rússia.

A 1.ª Força Nacional Destacada, composta por 222 militares portugueses, partiu para a Roménia em 15 de abril deste ano.

Em 19 de maio, o primeiro-ministro, António Costa, visitou e discursou perante os 222 militares portugueses na Base Militar de Caracal, tendo ao seu lado o Presidente da Roménia, Klaus Iohannis, e o primeiro-ministro romeno, Nicolae Ciucâ, que agradeceram a presença de tropas nacionais no seu país.

+ notícias: Mundo

Morreu Paco Rabanne 

O estilista de nome Francisco Rabaneda y Cuervo, mais conhecido como Paco Rabanne, morreu no passado domingo aos 88 anos. Anunciada apenas esta sexta-feira, a sua morte foi confirmada pelo autarca de Vannes, David Robo.

Reveladas imagens do telemóvel da Coca-Cola em parceria com a Realme

Esta sexta-feira foram reveladas imagens do telemóvel que está a ser desenvolvido pela empresa chinesa Realme.

Lula diz ter a certeza que Bolsonaro "participou ativamente" nos ataques em Brasília

O Presidente brasileiro, Lula da Silva, disse esta quinta-feira ter a certeza que o ex-chefe de Estado Jair Bolsonaro "participou ativamente" nos ataques às sedes dos três poderes em Brasília no dia 8 de janeiro.