COI congratula-se por ONU reconhecer neutralidade do movimento olímpico

COI congratula-se por ONU reconhecer neutralidade do movimento olímpico
| Mundo
Porto Canal / Agências

O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, congratulou-se esta quinta-feira com o reconhecimento, por parte da ONU, do "caráter unificador e conciliador" das grandes competições desportivas internacionais.

A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas aprovou esta quinta-feira, em Nova Iorque, uma resolução reconhecendo que "as grandes manifestações desportivas internacionais devem ser organizadas em espírito de paz" e que convém respeitar "o caráter unificador e conciliador" desses momentos.

A resolução reafirma ainda a contribuição nesse sentido dos movimentos olímpico e paralímpico.

"Ao adotar essa resolução, a Assembleia Geral das Nações Unidas apoia igualmente a missão primordial dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, como força unificadora, que agrupa o mundo inteiro numa competição pacífica, livre de qualquer discriminação", disse Bach.

Para o líder do movimento olímpico, "o COI só pode cumprir a sua missão unificadora se os Jogos Olímpicos e Paralímpicos transcenderam as diferenças políticas, culturais e outras, o que só é possível se forem neutros no plano político e não se tornem um instrumento ao serviço de objetivos políticos".

"Isso só será possível com a condição de os Jogos Olímpicos serem neutros no plano político e que não se tornem um instrumento ao serviço de objetivos políticos. É com a maior satisfação que recebemos o apoio sem equívocos dos Estados membros da ONU à neutralidade política do COI e a autonomia do desporto, como está expresso na resolução", disse ainda Thomas Bach.

A resolução foi adotada por consenso na 77.ª sessão da Assembleia Geral da Nações Unidas e contou com a adesão da Rússia e da Ucrânia, inclusivamente.

O COI tem desde 2009 o estatuto de observador permanente na ONU, como reconhecimento da "contribuição inestimável dos movimentos olímpico e paralímpico que fazem do desporto um meio único na promoção da paz e do desenvolvimento", como foi definido na resolução então aprovada.

+ notícias: Mundo

Escândalo sexual expulsa Príncipe André do Palácio de Buckingham

O príncipe André, de 62 anos, foi expulso de vez do Palácio de Buckingham, residência oficial da família real britânica, pelo rei Carlos III. Segundo avança o jornal britânico ‘The Sun’, o Duque de York terá dito a amigos próximos que nos detalhes sobre o caso de abuso sexual vão ser públicos em breve.

Mais de 6500 russos ligaram para linha de deserção "Eu quero viver"

Mais de 6500 russos ligaram para a linha de deserção: "Eu quero viver". Trata-se de uma linha direta criada pela Ucrânia em setembro de 2022. 

"Longa vida à Rússia". Pai de Djokovic visto ao lado de apoiantes de Putin no Open da Austrália

Srdjan Djokovic, pai de Novak Djokovic, foi filmado, na noite de quarta-feira, a posar com manifestantes pró-Rússia, envergando bandeiras com a cara de Vladimir Putin e sinais com a letra 'Z', de apoio às forças militares do país.