Rali Dakar: 17 pilotos portugueses na 45ª edição

Rali Dakar: 17 pilotos portugueses na 45ª edição
| Desporto
Porto Canal / Agências

A 45.ª edição do Rali Dakar de todo-o-terreno, que se realiza de 31 de dezembro a 15 de janeiro na Arábia Saudita, terá, à partida, 17 pilotos de origem portuguesa.

A Rui Gonçalves (Sherco), Joaquim Rodrigues Jr. (Hero), António Maio (Yamaha), Mário Patrão (KTM), nas motas, junta-se o luso-germânico Sebastian Buhler (Hero) também nas duas rodas.

Nos automóveis participam os navegadores Paulo Fiúza (copiloto do lituano Vaidotas Zala, num Hunter) e José Marques (do lituano Gintas Petrus, num Chevrolet).

Desta vez, a maioria da armada nacional está inscrita nos veículos ligeiros, os SSV, com Hélder Rodrigues/Gonçalo Reis (BRP Can-Am), João Ferreira/Filipe Palmeiro (Yamaha), para além de Ricardo Porém, navegado pelo argentino Augusto Sanz (Yamaha) enquanto Paulo Oliveira (que corre com licença moçambicana) terá como copiloto o espanhol Miguel Alberty (Can-Am Maverick).

Já Pedro Bianchi Prata será o navegador do piloto brasileiro Bruno Conti de Oliveira (BRP Can-Am) e Fausto Mota, que corre com licença espanhola, navega o brasileiro Cristiano Batista (BRP Can-Am).

Nos camiões, José Martins está inscrito como piloto num Iveco do Team Boucou, com o navegador francês Jeremie Gimbre e o mecânico gaulês Eric Simonin.

Ainda nos camiões, Armando Loureiro será copiloto num MAN com o piloto francês Sebastien Fargeas e com o mecânico francês Luc Fertin.

A edição de 2023 marca o regresso de Hélder Rodrigues à prova em que já terminou por duas vezes no pódio das motas (foi terceiro em 2011 e 2012), tendo terminado 11 vezes a prova, sete delas entre os cinco primeiros classificados.

Depois de, nos últimos anos, ter ajudado Ruben Faria a gerir a equipa da Honda, que venceu em 2020 e 2021, regressa agora na nova categoria de veículos ligeiros.

Ainda nos SSV, destaque para o antigo campeão nacional Ricardo Porém e para o atual campeão português e europeu de todo-o-terreno em carros, João Ferreira.

Nas motas, o transmontano Rui Gonçalves e o minhoto Joaquim Rodrigues Jr. partem como candidatos aos 15 primeiros lugares da classificação.

Os detalhes da prova
Com um prólogo seguido de 14 etapas, os 820 participantes enfrentam um total de 8.549 quilómetros, 4.706 deles cronometrados, com “mais dureza” do que a prova de 2022.

“No ano passado, muitos disseram que sentiam falta de mais dificuldade. O terreno nem sempre nos propicia aquilo que queremos. Por isso, tivemos que dar voltas à cabeça. Fomos em busca de mais dificuldades e de percursos mais extensos”, frisou o diretor da corrida, o francês David Castera, durante a apresentação da prova, em direto do site oficial do rali.

A edição de 2023 vai cruzar a Arábia Saudita, país que acolhe a prova pelo quarto ano consecutivo, desde a costa do Mar Vermelho até ao Golfo da Arábia.

A 45.ª edição do Rali Dakar de todo-o-terreno começa no dia 31 de dezembro, em Sea Camp, terminando a 15 de janeiro, em Dammam. Ao todo, estão inscritos 455 veículos e 820 participantes.

+ notícias: Desporto

FC Porto (Andebol): Informação sobre os bilhetes para o FC Porto-Académico de Viseu

Jogo dos 16 avos de final da Taça de Portugal disputa-se a 3 de fevereiro (21h00), no Dragão Arena.

FC Porto (Hóquei em Patins): Tudo igual num duelo de campeões

FC Porto e Trissino empataram a três na abertura da nova prova europeia de hóquei.

FC Porto (Basquetebol): Miguel Maria espera uma saída vitoriosa frente aos aveirenses

72 horas volvidas desde mais uma grande vitória europeia, a equipa de basquetebol do FC Porto retoma a luta pelo título nacional no Dragão Arena. A 19.ª jornada do Campeonato reserva uma receção ao Esgueira (sexta-feira, 20h00, FC Porto TV/Porto Canal) e Miguel Maria Cardoso espera “continuar a ganhar porque trabalhar sobre vitórias é muito mais fácil”.