Desagregação de Seixezelo e Pedroso em Gaia gera trocas de acusações entre PS e PSD

Desagregação de Seixezelo e Pedroso em Gaia gera trocas de acusações entre PS e PSD
| Norte
Porto Canal / Agências

O ex-presidente da Junta de Seixezelo (PSD), localidade de Vila Nova de Gaia agora agregada com Pedroso, acusou esta segunda-feira o atual presidente (PS) de “desonestidade intelectual” e de ter promovido um abaixo-assinado para contrariar a vontade da população.

Em causa está o processo de desagregação de freguesias e uma polémica que já gerou dois abaixo-assinados contraditórios, cada qual com mais de 630 assinaturas, e determinou a marcação de uma consulta pública à população de Seixezelo para 1 de dezembro.

Esta polémica já gerou várias trocas de acusações entre o atual (PS) e o anterior autarca (PSD), bem como de um movimento popular e da CDU de Vila Nova de Gaia.

Para o atual presidente da União de Freguesias de Pedroso e Seixezelo, Filipe Silva Lopes, as posições e acusações esta segunda-feira tornadas públicas pelo PSD são “politiquice barata” com “propósitos políticos”.

Num comunicado enviado à agência Lusa, o social-democrata Sérgio Baptista, que foi presidente da Junta de Seixezelo e é membro da Assembleia de Freguesia da União de Pedroso e Seixezelo, acusa o socialista e atual presidente de Junta de estar “a usar a maioria absoluta para, numa atitude autista de quero, posso e mando, fazer prevalecer a sua opinião pessoal contra a legítima vontade dos seixezelenses”.

“Quis fazer de Seixezelo um caso único e uma exceção, sem razão e sem sentido, em Vila Nova de Gaia, contra um verdadeiro pacto de regime entre a câmara municipal e todos os partidos com assento na Assembleia Municipal, quando participou, em fevereiro passado, numa reunião que decidiu a desagregação a 24 e em que o próprio entrou mudo e saiu calado, sem declarar qualquer oposição”, lê-se no comunicado.

Sérgio Baptista acusa Filipe Silva Lopes de ter promovido o abaixo-assinado que é contra a desagregação destas freguesias e afirma que as assinaturas foram “recolhidas por funcionários da autarquia e em horário de expediente” e que “a veracidade e autenticidade de muitas assinaturas é muito duvidosa”.

No comunicado, o social-democrata diz que do documento constam o nome e não seguramente a assinatura de pessoas com a identificação repetida, pessoas recenseadas em outras freguesias, pessoas que estão emigradas e têm residência no estrangeiro, folhas inteiras apenas com a menção de nome e número de Cartão do Cidadão, entre outras situações.

A agência Lusa contactou o presidente da União de Freguesias de Pedroso e Seixezelo que negou ter tido participação na elaboração do abaixo-assinado, apontando que apenas se limitou a remeter os dois (um contra a desagregação e outro a favor) para “as entidades que se entendeu que se devia encaminhar”, nomeadamente a Assembleia Municipal.

“[Essa acusação] é falsa. Qualquer um dos abaixo-assinados é legítimo, mas sinceramente nem olhei para nenhum. Não assinei nenhum. A Junta de Freguesia não promoveu nenhum abaixo-assinado como é evidente. Apenas encaminhou os dois que recebeu”, disse Filipe Silva Lopes.

Já as acusações de desonestidade intelectual ou de estar a tentar impedir a desagregação das freguesias à revelia da vontade popular, o autarca disse estar “tranquilo” quanto ao seu comportamento, admitindo que defende a manutenção da união e freguesias, uma opinião que não mudou.

“Ao contrário do senhor Sérgio Baptista, temos atas de 2012 que provam que ele defendia a agregação. Pronto, agora mudou de ideias, mas eu nunca mudei e nunca escondi a minha opinião”, disse.

Para o socialista, “não é a identidade que move o senhor Sérgio Baptista que entra mudo e sai calado nas Assembleias de Freguesia. Ele está a fazer uma pré-campanha e o adversário não serei eu, quer agregue quer desagregue”, respondeu.

Na quinta-feira vai decorrer uma consulta pública (por voto secreto em urna), que não é vinculativa e é reservada a pessoas recenseadas em Seixezelo, das 8h às 19h no Centro Social Manuel Pinto de Sousa.

A freguesia de Seixezelo tem 15.000 habitantes, enquanto a de Pedroso tem 30.000.

Em Vila Nova de Gaia existem 15 autarquias locais, sete das quais são uniões de freguesias e oito juntas. Antes da agregação, existiam 24 freguesias.

+ notícias: Norte

Ministra diz não existir nenhuma objeção para que barragens paguem IMI

A ministra da Coesão Territorial disse esta sexta-feira não existir da parte do Governo "nenhuma objeção a que as barragens paguem IMI" e que essa receita poderá ser "importante" para futuros investimentos públicos infraestruturantes.

Viana do Castelo. Duas pessoas encarceradas em choque em cadeia no acesso à A28

Duas pessoas ficaram encarceradas, na tarde desta sexta-feira, na sequência de um choque em cadeia entre cinco veículos, na variante IC1, no acesso à A28, em Viana do Castelo. 

Circulação vai estar interdita na ponte do Brás Oleiro, na Maia

A circulação de peões na ponte do Brás Oleiro, na Maia, distrito do Porto, vai estar interditada entre as 03h00 e as 19h00 de domingo por causa dos trabalhos de reabilitação, reforço e alargamento daquela estrutura, foi esta sexta-feira anunciado.