Vizela inaugura auditório com capacidade para 200 pessoas

Vizela inaugura auditório com capacidade para 200 pessoas
| Norte
Porto Canal / Agências

Vizela vai inaugurar, no dia 1 de dezembro, o seu novo auditório municipal, situado no edifício dos Paços do Concelho, que terá capacidade para 200 pessoas, informou esta quinta-feira a autarquia.

O espaço tem cerca de 1.500 metros quadrados e inclui salas de apoio, camarins e galeria de exposições, entre outras funcionalidades.

“Estão assim criadas todas as condições para a existência do primeiro grande auditório no concelho”, assinala-se numa nota de imprensa enviada à agência Lusa.

O auditório baseia-se num projeto que tinha sido realizado há cerca de duas décadas, mas que foi, entretanto, reformulado pelo atual executivo para o dotar de uma área superior e outras valências ajustadas às necessidades atuais.

Segundo aquele município do distrito de Braga, também foi criado um acesso direto ao palco do auditório, a partir da garagem do edifício, através da criação de um túnel.

O equipamento conta, ainda, com uma zona de receção.

A inauguração está agendada para as 11h e prevê-se a realização de dois concertos pela Banda da Sociedade Filarmónica Vizelense, nos dias 2 e 3 de dezembro, pelas 21h, de entrada livre.

+ notícias: Norte

Galiza e Portugal, nações irmãs. Causa galega marcha pelas ruas do Porto e Gaia

A iniciativa promovida por um grupo de cidadãos da Galiza passará, este sábado, pelas ruas do Porto e Gaia, naquela que é, segundo a organização, a intenção de "tornar visível a questão galega".

Casa da Arquitetura vai montar exposição com espólio do Metro do Porto

A Casa da Arquitetura pretende mostrar o acervo da Metro do Porto nos próximos três anos, tendo o seu diretor considerado que a implementação deste sistema de transportes, há 20 anos, implicou uma "disseminação positiva" da sua linguagem arquitetónica.

Distrito de Vila Real com 4 mortos e 18 alertas de incêndio urbano desde outubro

No distrito de Vila Real foram contabilizados 18 incêndios urbanos desde o dia 1 de outubro, dos quais resultaram quatro vítimas mortais, dois feridos e dois desalojados, segundo disse o comandante operacional distrital, Miguel Fonseca, esta sexta-feira.