Vila Real quer tradições como o “pito” e o andor da Pena no Património Imaterial

Vila Real quer tradições como o “pito” e o andor da Pena no Património Imaterial
| Norte
Porto Canal / Agências

Vila Real quer tradições como o “pito” e o andor da Pena no Património Imaterial

O anúncio foi feito através de um comunicado, divulgado esta terça-feira, e que revela que o município quer apostar no “reconhecimento do património cultural, material e imaterial, valorizando a memória e herança culturais do concelho”.

“O que nos desafiou a assumir este compromisso foi a certeza de termos um património riquíssimo, seja ele histórico, natural ou humano, e que é único. E fazer a inscrição no INPCI é um revisitar do nosso passado, da nossa identidade, privilegiando-se o respeito pelo território e pelas pessoas, colocando-se o enfoque na relação da cultura com a comunidade e com a democracia”, afirmou a vereadora da Cultura, Mara Minhava, citada no comunicado.

Assim, no âmbito do “Levantamento Nacional do Património Cultural Imaterial (PCI) 2022", a câmara de Vila Real manifestou intenção de inscrever o andor da Senhora da Pena, a procissão do Bom Jesus do Calvário, as tradições de Santa Luzia e São Brás e as tunas rurais do Marão e Alvão, esta última em articulação com os municípios de Santa Marta de Penaguião e Amarante e a associação Arquivo de Memórias.

O município justificou que as tradições de Santa Luzia e São Brás são “únicas no país”. No dia de Santa Luzia (13 dezembro) a mulher oferece o pito ao homem, um doce típico de massa e abóbora, e depois, no dia de São Brás (03 de fevereiro), é o homem que oferece a gancha à mulher, uma espécie de bengala de açúcar caramelizado.

Esta é uma tradição que começou por ser religiosa e acabou, com o passar do tempo, por ter um cariz popular e são mulheres e homens de todas as idades que aderem à brincadeira.

A Senhora da Pena é a maior romaria da região e é conhecida por ter um dos maiores andores do país, que chega a ultrapassar os 20 metros, pesa cerca de duas toneladas e precisa de dezenas de homens para o transportar.

Quanto à procissão do Bom Jesus do Calvário, é uma manifestação do calendário religioso vila-realense, que constitui o ponto alto de uma das festas com maior devoção, envolvimento e participação popular do concelho.

“Falamos de organizações peculiares, não só do ponto de vista cultural ou religioso, mas também do ponto de vista sociológico e antropológico, envolvendo um esforço comunitário, revelador de um extraordinário sentimento de pertença à comunidade”, salientou a autarquia.

Sobrevivem, atualmente, cinco tunas rurais nas aldeias de Soutelo, Bisalhães, Campeã, Carvalhais e Ansiães, que se espalham pelas serras do Marão e Alvão.

São agrupamentos musicais de origem popular e algumas são já muito antigas, mas correm risco de extinção devido ao despovoamento das aldeias e ao desinteresse dos mais jovens.

Segundo o município, “é também por este motivo que se torna imperioso não deixar morrer este património, tão presente na memória coletiva de todos”.

“O património humano é o que nos distingue como vila-realenses, como transmontanos, como durienses. E é este mesmo património humano que também nos distingue na Europa e no mundo, porque é o que nos torna únicos e nos enriquece perante o ‘outro’, afirmou o presidente da câmara de Vila Real, Rui Santos, também citado no comunicado.

O autarca lembrou que está a ser desenhado o Plano Estratégico Municipal de Cultura – Vila Real 2030, e que, neste âmbito, o município decidiu “declarar a cultura como um bem essencial”, tornando-se “pioneiro neste desígnio”.

+ notícias: Norte

Rui Moreira lembra "Bibota" como "uma pessoa encantadora e um jogador de eleição"

O Presidente da Câmara Municipal do Porto recordou Fernando Gomes, "bibota" de ouro, no dia da morte do melhor marcador da história do FC Porto. Rui Moreira lembrou Fernando Gomes como “uma pessoa encantadora e um jogador de eleição”. 

Liga decreta minuto de silêncio em jogos do fim de semana em homenagem a "Bibota"

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional decretou um minuto de silêncio nos jogos deste fim de semana da Taça da Liga, em homenagem ao ex-futebolista Fernando Gomes, que morreu este sábado, aos 66 anos.

Famalicão: 180 mil euros na animação da quadra natalícia

A Câmara de Vila Nova de Famalicão vai investir 180 mil euros na animação da quadra natalícia, sendo a maior fatia (120 mil euros) destinada às iluminações.