Novo aeroporto de Lisboa. António Costa, Pedro Nuno Santos e Luís Montenegro vão reunir

| País
Porto Canal

O primeiro-ministro António Costa chamou o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, para uma reunião, a decorrer ainda esta semana, e com uma delegação do PSD, que contará com Luís Montenegro, depois de receber a carta do líder dos sociais-democratas.

Numa nota enviada às redações, António Costa diz que recebeu a carta de Montenegro com as propostas para o novo aeroporto de Lisboa. A carta foi enviada esta quarta-feira.

No documento enviado pelo gabinete do primeiro-ministro lê-se: “Quanto ao essencial, regista a reafirmação da "total disponibilidade para se alcançar a maior convergência possível” sobre “a estratégia de desenvolvimento da capacidade aeroportuária da região de Lisboa” e, em especial, “da aceitação recíproca da metodologia a seguir.”.

A reunião irá realizar-se na próxima sexta-feira, pelas 17h00, na Residência Oficial do Primeiro-Ministro.

De relembrar que António Costa chamou o ministro das infraestruturas depois da desautorização deste por causa de um despacho do novo aeroporto de Lisboa.

+ notícias: País

Internamentos e óbitos causados pela gripe estão subnotificados

Os casos de internamentos por gripe em Portugal estão subnotificados, assim como as mortes causadas pela doença, segundo um estudo que analisou durante uma década o peso das hospitalizações e da mortalidade provocada pela gripe.

D. José Ornelas: "Os padres não são uma cambada de pedófilos"

D. José Ornelas garante que não protegeu nenhum abusador de crianças. O alegado encobrimento remete para um caso de 2011 de um alegado abuso de menores num orfanato, em Moçambique. A afirmação do bispo de Leiria-Fátima surge depois do Ministério Público ter confirmado que D. José Ornelas está a ser investigado.

Pilotos dizem que se TAP tem dinheiro para comprar BMW, tem dinheiro para repor condições laborais

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil sugeriu esta quarta-feira à TAP a mesma lógica de “gastar-mais, para poupar”, com que a companhia se defendeu sobre a renovação da frota automóvel corporativa, para a reposição das condições laborais dos trabalhadores.