Sérgio Figueiredo renuncia ao cargo de consultor do ministro das Finanças

| País
Porto Canal / Agências

Sérgio Figueiredo renunciou ao cargo de consultor do ministro das Finanças, anunciou hoje o ex-antigo diretor de informação da TVI num texto publicado no Jornal de Negócios.

"Para mim chega! Sou a partir deste momento o ex-futuro consultor do ministro das Finanças. Sossego as almas mais sobressaltadas de que não cheguei a receber um cêntimo, sequer formalizei o contrato que desde a semana passada esperava pela minha assinatura", pode ler-se num texto assinado por Sérgio Figueiredo na edição 'online' do jornal.

O jornal Público noticiou em 09 de agosto que o Ministério das Finanças tinha contratado o antigo diretor de informação da TVI e ex-administrador da Fundação EDP Sérgio Figueiredo como consultor estratégico para fazer a avaliação e monitorização do impacto das políticas públicas, escolha que motivou críticas de partidos políticos e comentadores.

+ notícias: País

Ministério ordena investigação ao caso de estudante favorecido para entrar em Medicina na Católica

Contactado pelo Porto Canal, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior afirmou que a admissão do aluno em Medicina, na Universidade Católica, por ser “descendente de beneméritos” da Instituição, está sob alçada da Inspeção-Geral da Educação e Ciência, que irá apurar a "legalidade da situação identificada". 

Medidas de poupança de energia: Governo recomenda luzes de natal até à meia noite

Esta terça-feira o Governo anunciou, num decreto-lei publicado em Diário da República, um conjunto de medidas para poupança de energia. Tal como noticiou o 'Jornal de Notícias', entre as medidas está a recomendação do uso de luzes de natal até à meia noite, ou seja, será o ajustamento "da iluminação natalícia para o horário entre as 18 horas e as 24 horas e a possível adoção do teletrabalho, sempre que o regime for viável e se se comprovar a poupança enérgitca". 

Seca em Portugal. Governo suspende uso dos recursos hídricos de 15 albufeiras a partir de outubro

O Governo determinou, a partir de 1 de outubro, uma suspensão temporária nos recursos hídricos de 15 albufeiras, "até que sejam alcançadas as cotas mínimas da sua capacidade útil que venham a ser estabelecidas".