Urgências de ginecologia/obstetrícia encerradas no hospital de Braga

Urgências de ginecologia/obstetrícia encerradas no hospital de Braga
| País
Porto Canal / Agências

As urgências de Ginecologia e Obstetrícia e os blocos de parto dos hospitais de Beja, Braga e Garcia de Orta, em Almada, estão esta sexta-feira encerradas, sendo que neste último só reabrem na segunda-feira.

Além destes hospitais, outros dos distrito de Lisboa e Santarém vão sofrer constrangimentos durante o fim de semana, segundo a informação disponibilizada na plataforma do Serviço Nacional de Saúde que permite ver o horário destes serviços de urgência e blocos de partos, consultada pela agência Lusa às 12:00.

De acordo com a informação do portal do SNS, o serviço de urgência de ginecologia e obstetrícia e bloco de partos do Hospital Garcia de Orta, no distrito de Setúbal, encerraram às 08:00 de hoje e só voltam a reabrir na segunda-feira às 08:00.

O Hospital de Beja também encerrou hoje estes serviços até às 08:00 de sábado, voltando a fechá-los no domingo, a partir das 08:00.

o serviço de urgências e bloco de partos do Hospital de Braga estão hoje encerrados até às 20:00, voltando a fechar sábado às 20:00, de acordo com os dados disponibilizados, que não têm informação disponível para domingo.

Em Lisboa, o Hospital São Francisco Xavier terá o serviço de Urgência de Ginecologia e Obstetrícia e o bloco de partos encerrados entre as 21:00 de sábado e as 09:00 de domingo, e a Maternidade Alfredo da Costa fecha o bloco de partos no domingo, entre as 09:00 e as 21:00.

O Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, tem estes serviços encerrados às utentes entre as 20:00 de domingo e as 08:00 de segunda-feira, dia em que funcionam até às 20:00.

Igualmente no distrito de Lisboa, no Hospital de Vila Franca de Xira os constrangimentos são no bloco de partos que encerra no domingo às 09:00.

Já no Hospital de Santarém, o serviço de urgência encerra entre as 08:30 de sábado e as 08:30 de domingo, enquanto o bloco de partos encerrou hoje às 08:30, voltando a reabrir no domingo às 08:30.

O Hospital São Bernardo, em Setúbal, terá o serviço de urgência destas especialidades encerrado entre as 09:00 de sábado e as 09:00 de domingo, assim como o bloco de partos.

As urgências de ginecologia e obstetrícia e os blocos de parto têm registado condicionamentos nos últimos meses, uma situação que se repete um pouco por todo o país, por dificuldades em assegurar escalas por falta de especialistas.

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Lacerda Sales, garantiu recentemente que "ninguém ficará sem resposta" do Serviço Nacional de Saúde durante o mês de agosto, porque os hospitais funcionam em rede.

Para informar as grávidas destes constrangimentos foi criada esta plataforma no Portal do SNS sob proposta da Comissão de Acompanhamento da Resposta em Urgência de Ginecologia/Obstetrícia e Bloco de Partos.

Uma vez que a informação é dinâmica, os utentes são aconselhados a consultarem o motor de busca antes de se deslocarem a estes serviços de saúde.

Em declarações anteriores à agência Lusa, o coordenador da Comissão de Acompanhamento, Diogo Ayres de Campos, disse que esta medida tem como objetivos "evitar que haja situações de risco neste verão".

+ notícias: País

Futura sede da TAP pode vir a custar 3,8 milhões/ano. Pilotos criticam mudança

O sindicato dos Pilotos da Aviação Civil acusou, esta quinta-feira, a gestão da TAP de “desperdiçar” as receitas do verão com “milhões de erros” cometidos ao longo do ano. Um deles é, segundo a estrutura sindical, o “gasto desnecessário com a mudança da sede da empresa do Aeroporto de Lisboa para o Parque das Nações. Um dos edifícios na mira da companhia aérea nacional tem uma renda anual de quase 4 milhões de euros.

Vida e obra de Luís Ferreira Alves: o pioneiro na fotografia de arquitetura em Portugal

Luís Ferreira Alves, pioneiro na fotografia de arquitetura em Portugal, impulsionou a evolução desta arte desde a década de 80, acarinhado e reconhecido no meio, morreu em Julho aos 84 anos.

Sindicato dos Pilotos da Aviação acusa a TAP de "milhões de erros" 

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil acusa a TAP de desperdiçar as receitas do verão com milhões de erros ao longo ano. Entre os principais problemas apontados pela estrutura está a contratação externa de serviços a várias companhias áreas, num valor superior a 200 milhões de euros.