Ucrânia: Índice de preços dos alimentos da FAO cai 8,6% em julho face a junho

| Mundo
Porto Canal / Agências

O índice de preços dos alimentos da FAO desceu para 140,9 pontos em julho, menos 8,6% do que em junho, graças principalmente a uma redução dos preços dos óleos vegetais e dos cereais, foi hoje anunciado.

A FAO - Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura informou hoje que este foi o quarto declínio mensal consecutivo do índice, que reflete a variação mensal dos preços internacionais de um cabaz dos produtos alimentares mais transacionados, depois de ter atingido um pico em março na sequência da invasão da Ucrânia.

No entanto, o índice da FAO ainda estava em julho 13,1% acima do nível de julho de 2021 (124,6 pontos).

Em julho, o índice de preços do óleo vegetal da FAO diminuiu 19,2% em relação a junho, marcando o nível mais baixo em 10 meses, mas ainda estava 10% acima do seu nível de julho de 2021.

Os preços dos cereais caíram 11,5% em julho face a junho, mas permaneceram 16,6% acima do valor de julho de 2021.

Os preços de todos os cereais diminuíram, a começar pelo trigo (-14,5%), graças principalmente ao acordo alcançado entre a Ucrânia e a Rússia para desbloquear as exportações dos principais portos do Mar Negro e também à disponibilidade sazonal devido às colheitas em curso no hemisfério norte.

Os preços do açúcar caíram 3,8% face a junho devido às preocupações com as perspetivas da procura como consequência de expectativas de um novo abrandamento da economia global em 2022, ao enfraquecimento do real brasileiro e à descida dos preços do etanol, que levou a uma produção de açúcar no Brasil mais elevada em julho do que anteriormente prevista.

Os produtos lácteos recuaram 2,5% em relação a junho, face à fraca atividade comercial, mas permaneceram 25,4% acima dos valores de julho de 2021.

Em julho, o índice de preços da carne também diminuiu 0,5% em relação a junho, devido ao enfraquecimento da procura de importações de carne de bovino, ovino e suíno, mas ficou 8,6% acima do nível de julho de 2021.

+ notícias: Mundo

Julho foi dos meses mais quentes jamais registados no mundo

O mês passado foi um dos julhos mais quentes jamais registados no mundo, indicou, esta terça-feira, a Organização Meteorológica Mundial (OMM), uma agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU) com sede em Genebra.

China detecta 35 casos humanos de um novo vírus de origem animal

Um estudo científico revelou a deteção em duas províncias da China de 35 infeções em seres humanos de um novo vírus de origem animal, da família dos Henipavírus, informou esta terça-feira a imprensa estatal do país asiático.

Fornecimento de petróleo russo via Ucrânia foi interrompido

As entregas de petróleo russo a três países europeus através da Ucrânia foram interrompidas após a recusa de uma transação bancária ligada às sanções contra Moscovo, anunciou hoje a empresa russa responsável pelo transporte.