Taiwan: Pelosi considera ridícula ideia de que visita prejudicou Taipé

| Mundo
Porto Canal / Agências

A líder da Câmara dos Representantes do Congresso dos EUA classificou hoje como "ridículo" que a sua visita a Taiwan possa prejudicar a ilha e assegurou que o objetivo é manter o 'status quo' internacional.

"A nossa delegação não procura alterar o 'status quo' na Ásia ou Taiwan", disse Nancy Pelosi, durante uma conferência de imprensa na embaixada dos EUA na capital japonesa, Tóquio, a última paragem numa digressão asiática que também a levou esta semana a Singapura, Malásia e Coreia do Sul, democracias que procurou "celebrar" com a viagem.

"Isso é ridículo", disse Pelosi quando questionada sobre críticas de que a sua visita a Taiwan teria feito mais mal do que bem para o território, ao desencadear maciços exercícios militares chineses em redor da ilha e retaliação económica.

A veterana política norte-americana disse que a China utilizou simplesmente a visita "como desculpa" para uma demonstração de força, e afirmou que a intenção da viagem era sempre "mostrar respeito para com os países" visitados, "ter paz no Estreito de Taiwan" e "fazer prevalecer o atual 'status quo'".

Pelosi disse que, apesar do compromisso da Administração dos EUA em manter a ordem internacional tal como está, "os chineses estão a tentar isolar Taiwan" e vetar a participação da ilha em organismos globais e capacidade de receber e conduzir visitas oficiais: "Mas não isolarão Taiwan impedindo-nos de viajar para lá", concluiu.

"Não permitiremos que isolem Taiwan. Não programam a nossa agenda de viagens, o Governo chinês não fará isso. A nossa amizade com Taiwan é forte", disse Pelosi, que apelou à continuidade das visitas e relações com a ilha.

A visita da democrata a Taiwan ensombrou grande parte da agenda da digressão asiática, algo com o qual Pelosi não está satisfeita.

"Não quero que a visita a Taiwan desvie a atenção do nosso verdadeiro objetivo", disse Pelosi, que é o de fazer avançar ainda mais as relações de Washington com os seus aliados na região, explicou.

O Presidente norte-americano, Joe Biden, "tem dado uma enorme atenção ao Indo-Pacífico, que é muito importante em muitas áreas, tais como segurança, economia e governabilidade", acrescentou.

Pelosi liderou uma delegação composta por outros representantes do Congresso dos EUA, incluindo membros de comissões que vão desde os negócios estrangeiros e forças armadas à política económica.

+ notícias: Mundo

Julho foi dos meses mais quentes jamais registados no mundo

O mês passado foi um dos julhos mais quentes jamais registados no mundo, indicou, esta terça-feira, a Organização Meteorológica Mundial (OMM), uma agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU) com sede em Genebra.

China detecta 35 casos humanos de um novo vírus de origem animal

Um estudo científico revelou a deteção em duas províncias da China de 35 infeções em seres humanos de um novo vírus de origem animal, da família dos Henipavírus, informou esta terça-feira a imprensa estatal do país asiático.

Fornecimento de petróleo russo via Ucrânia foi interrompido

As entregas de petróleo russo a três países europeus através da Ucrânia foram interrompidas após a recusa de uma transação bancária ligada às sanções contra Moscovo, anunciou hoje a empresa russa responsável pelo transporte.