Escalada de preços na eletricidade afeta famílias e empresas

| Economia
Porto Canal

Depois da polémica dos últimos dias, a Endesa está a assegurar aos clientes residenciais que não vai mexer nos preços da eletricidade.
Para já nos consumidores domésticos não há motivo de alarme graças à Taxa Fixa dos contratos, nas empresas a situação é diferente e há firmas que já receberam a fatura da eletricidade com a taxa de mecanismo ibérico.

Com a polémica da Endesa instalada e a causar confusão nos consumidores, a empresa de energia veio esclarecer que não vão haver aumentos para os clientes residenciais pelo menos até ao fim do ano.

A empresa está a enviar uma carta aos consumidores a garantir que o aumento de 40% anunciado não vai acontecer em 2022, e que, as condições de contrato de cada cliente irão manter-se, tal como no momento da contratação.

Já no mercado empresarial a questão é diferente e já há empresas a receber faturas com aumento graças ao mecanismo ibérico para limitar os preços do gás.

Por exemplo, numa empresa do grande Porto a fatura do mês de junho foi de 216,36€.

Já na de julho o valor aumentou para 491,47€.

Se olharmos de forma detalhada para a fatura, vemos que para além do valor da eletricidade e dos impostos existe no setor “outros” uma taxa extra inserida dentro do Mecanismo DL 33/2022 no valor de 22,95€. Um valor que representa um aumento de 6,18% no valor total da fatura da empresa.

O mecanismo ibérico entrou em vigor em junho deste ano e pretende fixar um preço médio de 50 euros por megawatt-hora no gás natural por um período de 12 meses.

+ notícias: Economia

Gasolina vendida 1,8 cêntimos e gasóleo 2,2 cêntimos acima da referência

A média dos preços nas gasolineiras ficou, na semana entre 08 e 14 de agosto, no caso da gasolina, 1,8 cêntimos e no gasóleo 2,2 cêntimos acima do preço médio semanal determinado pela ERSE, segundo a entidade.

Lisboa, Funchal e Porto registam crescimento de dormidas em junho face a 2019

Lisboa, Funchal e Porto registaram crescimento de dormidas em junho face a 2019, sendo "mais expressivos nos residentes", de acordo com dados da atividade turística hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Passageiros nos aeroportos sobem 344% no 1.º semestre e aproximam-se de valores pré-pandemia

O número de passageiros movimentados nos aeroportos nacionais subiu 344% no primeiro semestre em termos homólogos, para 24,3 milhões, com o mês de junho a crescer 186%, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).