Governo estende até ao final de agosto comparticipação de testes

Governo estende até ao final de agosto comparticipação de testes
| País
Porto Canal / Agências

O Governo estendeu o prazo de comparticipação de testes rápidos de antigénio de uso profissional à covid-19, prescritos pelo Serviço Nacional de Saúde, até ao final de agosto, segundo uma portaria publicada hoje em Diário da República.

O alargamento da comparticipação de testes rápidos de antigénio de uso profissional até ao final de agosto, implica que sejam prescritos pelo SNS e que não custem ao Estado mais de 10 euros.

“Ainda que a evolução da situação epidemiológica tenha evidenciado alguma estabilização, dada a relevância da realização de testes de diagnóstico para despiste de infeção por SARS-CoV-2 (…) para efeitos de referenciação de pessoas sintomáticas e deteção precoce de casos confirmados, importa assegurar a manutenção da vigência do regime excecional e temporário estabelecido, continuando a garantir o acesso e a realização” dos testes, refere a portaria assinada pelo Secretário de Estado Adjunto e da Saúde.

A portaria entrou em vigor na segunda-feira e vai vigorar até ao dia 31 de agosto “sem prejuízo da sua eventual prorrogação”.

A realização dos testes de rastreio à covid-19 tem lugar nas farmácias, devidamente registadas no Sistema de Registo de Estabelecimentos Regulados da Entidade Reguladora da Saúde (ERS) e no Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica (SINAVE), e devidamente registadas e habilitadas junto da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed).

Portugal registou, entre 19 e 25 de julho, 29.277 infeções pelo coronavírus SARS-CoV-2, 72 mortes associadas à covid-19 e manteve a diminuição dos internamentos, de acordo com o último relatório epidemiológico semanal da DGS.

+ notícias: País

Futura sede da TAP pode vir a custar 3,8 milhões/ano. Pilotos criticam mudança

O sindicato dos Pilotos da Aviação Civil acusou, esta quinta-feira, a gestão da TAP de “desperdiçar” as receitas do verão com “milhões de erros” cometidos ao longo do ano. Um deles é, segundo a estrutura sindical, o “gasto desnecessário com a mudança da sede da empresa do Aeroporto de Lisboa para o Parque das Nações. Um dos edifícios na mira da companhia aérea nacional tem uma renda anual de quase 4 milhões de euros.

Vida e obra de Luís Ferreira Alves: o pioneiro na fotografia de arquitetura em Portugal

Luís Ferreira Alves, pioneiro na fotografia de arquitetura em Portugal, impulsionou a evolução desta arte desde a década de 80, acarinhado e reconhecido no meio, morreu em Julho aos 84 anos.

Sindicato dos Pilotos da Aviação acusa a TAP de "milhões de erros" 

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil acusa a TAP de desperdiçar as receitas do verão com milhões de erros ao longo ano. Entre os principais problemas apontados pela estrutura está a contratação externa de serviços a várias companhias áreas, num valor superior a 200 milhões de euros.