Montenegro diz que Costa leva exercício do poder demasiado longe no caso Endesa

| Porto
Porto Canal / Agências

Cantanhede, Coimbra, 02 ago 2022 (Lusa) -- O líder do PSD, Luís Montenegro, defendeu hoje que o Governo levou o exercício do poder "demasiado longe" no despacho do primeiro-ministro sobre a Endesa, considerando que o executivo anda "nervoso" a lidar com situações inconvenientes.

"Ter um primeiro-ministro que individualiza uma determinada empresa e que faz com que seja o Governo, através do secretário de Estado da tutela, a validar pagamentos a fornecedores é levar o exercício do poder do Governo demasiado longe e confundir maioria absoluta com o poder absoluto que o PS pretende exercer em Portugal", disse o líder social-democrata, que falava aos jornalistas, antes de visitar a feira Expofacic, em Cantanhede.

Num despacho assinado na segunda-feira e enviado hoje às redações, o primeiro-ministro, António Costa, determinou que os serviços do Estado não podem pagar faturas da Endesa sem validação prévia pelo secretário de Estado do Ambiente e da Energia, depois de o presidente da empresa ter admitido aumentos de 40% na eletricidade.

Para Luís Montenegro, "é muito insólito ver um primeiro-ministro querer intervir em matérias que não são da sua responsabilidade direta", frisando que é necessário um esclarecimento sobre a evolução dos preços da eletricidade.

Segundo o presidente do PSD, o seu partido está a ultimar um requerimento ao Governo e à Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) nesse sentido.

JGA // ACL

Lusa/Fim

+ notícias: Porto

Cinema Batalha reabre esta sexta-feira com programação gratuita 

O icónico Cinema Batalha da cidade do Porto foi inaugurado como sala de cinema e de espetáculos na década de 40 do século XX, mas fechou portas no ano 2000 devido avançado estado de degradação do edifício. 20 anos depois, e volvidos três anos de obras intensas de remodelação, o Batalha volta a abrir portas esta sexta-feira, dia 9 de dezembro, às 17h30, e nesse mesmo dia tudo é gratuito. 

Metro do Porto. 950 milhões de validações em 20 anos de "vida"

O Metro do Porto superou os 950 milhões de validações em 20 anos de serviço, que se assinalam esta quarta-feira, mas as linhas que ficaram por construir, como as da Trofa, Campo Alegre ou Boavista, poderiam ter aumentado esse número.

Descentralização: Acordo alcançado na Ação Social corresponde a “algumas exigências da autarquia”, diz Filipe Araújo

A Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e o Governo chegaram, esta terça-feira, a acordo no processo de descentralização de competências para a área da Ação Social, após o Governo ter anunciado um aumento da verba anual a transferir para as autarquias de 56,1 milhões de euros para 90,8 milhões. Em entrevista ao Porto Canal, Filipe Araújo defende que o entendimento dá resposta "a algumas das exigências da autarquia portuense".