Chega justifica moção com "desorganização e desorientação do Governo"

Chega justifica moção com "desorganização e desorientação do Governo"
| Política
Porto Canal / Agências

O presidente do Chega, André Ventura, justificou hoje a moção de censura apresentada pelo seu partido com a "desorganização e desorientação" do Governo e recusou que o tenha feito "por qualquer motivo de agenda política".

"O senhor primeiro-ministro sabe que tem pela frente um desafio que já não consegue concretizar, a desorganização e a desorientação geral do Governo são prova disso mesmo. O caos na saúde, nos combustíveis, no aeroporto e um ministro que já não existe são a prova final que precisávamos de que este Governo já não está cá para exercer funções", afirmou.

No arranque do debate na Assembleia da República, André Ventura insistiu que "esta moção de censura não é feita por qualquer motivo de agenda política nem por qualquer motivo supérfluo".

+ notícias: Política

Marcelo Rebelo de Sousa diz que lei não permite uso de escusas de responsabilidade

O Presidente da República defendeu que, em regra, a lei não permite o uso das escusas de responsabilidade e que, em política, quando se tem razão, é muito importante saber explicar aos portugueses a razão que se tem. Estas declarações do Presidente da República surgem numa altura em que muitos médicos têm apresentado escusas de responsabilidade por considerarem que não estão reunidas as condições necessárias para desempenharem as funções cumprido as regras da boa prática médica.

Ensino superior terá aumento de 3,7% e tutela retoma fórmula de financiamento

O ensino superior deverá contar com um aumento de 44 milhões de euros no Orçamento do Estado para 2023, mais 3,7% face a 2022, anunciou esta quarta-feira a tutela, adiantando também que vai voltar a aplicar a fórmula de financiamento.

Marcelo promulga decreto de execução orçamental

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, promulgou o documento do Governo que estabelece as regras de execução do Orçamento do Estado para 2022, avança a RTP.