Direção de Montenegro supera votações de Rio e Passos Coelho e é eleita com 91,6% dos votos

Direção de Montenegro supera votações de Rio e Passos Coelho e é eleita com 91,6% dos votos
| Política
Porto Canal / Agências

A Comissão Política Nacional do presidente do PSD, Luís Montenegro, foi hoje eleita com 91,6% dos votos, superando em muito as votações obtidas pelas direções de Rui Rio e até as de Pedro Passos Coelho.

De acordo com os resultados anunciados pelo presidente da mesa do Congresso, Paulo Mota Pinto, votaram para a Comissão Política Nacional 721 delegados, dos quais 661 na lista para a direção, o que corresponde a 91,6% dos votos.

No último congresso, em dezembro do ano passado, a direção de Rui Rio foi eleita com 67,6% dos votos. Em 2020, tinha alcançado 62,4% dos votos, naquela que foi então a votação mais baixa desde 2007, quando Luís Filipe Menezes obteve 61,8%.

Em 2016, a Comissão Política Nacional de Pedro Passos Coelho tinha tido 79,8% dos votos, o pior resultado de uma sua direção para este órgão. Em 2014, a sua comissão política tinha alcançado 85% dos votos, em 2012 tinha sido eleita com 88% e, em 2010, com 87,2%.

À Mesa do Congresso, a que só concorria a lista da direção encabeçada pelo presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, obteve 674 votos (93,5%)

A lista única para a Comissão Nacional de Auditoria Financeira, liderada pelo antigo chefe da Casa Civil do Presidente Cavaco Silva, José Nunes Liberato, conseguiu 672 votos.

+ notícias: Política

Marcelo Rebelo de Sousa diz que lei não permite uso de escusas de responsabilidade

O Presidente da República defendeu que, em regra, a lei não permite o uso das escusas de responsabilidade e que, em política, quando se tem razão, é muito importante saber explicar aos portugueses a razão que se tem. Estas declarações do Presidente da República surgem numa altura em que muitos médicos têm apresentado escusas de responsabilidade por considerarem que não estão reunidas as condições necessárias para desempenharem as funções cumprido as regras da boa prática médica.

Ensino superior terá aumento de 3,7% e tutela retoma fórmula de financiamento

O ensino superior deverá contar com um aumento de 44 milhões de euros no Orçamento do Estado para 2023, mais 3,7% face a 2022, anunciou esta quarta-feira a tutela, adiantando também que vai voltar a aplicar a fórmula de financiamento.

Marcelo promulga decreto de execução orçamental

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, promulgou o documento do Governo que estabelece as regras de execução do Orçamento do Estado para 2022, avança a RTP.