Luís Montenegro destaca "periodo de grande unidade e coesão" no PSD

| Política
Porto Canal / Agências

O presidente eleito do PSD, Luis Montenegro, destacou, este sábado, o “período de grande unidade e coesão” que o partido está a viver, considerando que vai ao encontro das expetativas do país. 

“Eu creio que toda a gente já percebeu que estamos a viver um período de grande unidade e coesão no PSD, isso é importante, é aquilo que o pais espera de nós, e vamos dar essa resposta ao país”, frisou, à entrada para o pavilhão Rosa Mota, no Porto, onde decorrem os trabalhos do 40º. Congresso Nacional social-democrata.

O dia de hoje vai ser marcado pela apresentação das listas aos órgãos do partido, mas à chegada ao recinto o sucessor de Rui Rio na liderança do PSD não quis adiantar nomes: “Logo à tarde já saberemos”.

Montenegro recusou-se igualmente a revelar o sentido de voto do PSD na moção de censura ao Governo que o Chega anunciou ir apresentar na Assembleia da República.

“Hoje não é dia de falar disso”, respondeu quando questionado sobre o tema.

O novo líder do PSD diz-se “muito tranquilo e esperançado” quanto ao trabalho que tem pela frente e assegura que se está a viver um “período de grande unidade e coesão no PSD”, sem avançar qualquer pormenor sobre a equipa que vai construir para os próximos anos.

+ notícias: Política

António Costa garante que Alemanha "pode contar 100% com o empenho de Portugal" para construção de gasoduto

O primeiro-ministro garantiu hoje que "a Alemanha pode contar 100% com o empenho de Portugal para a construção do gasoduto", depois de o chanceler alemão ter apelado à construção dessa infraestrutura para reduzir a dependência de gás russo.

Marcelo Rebelo de Sousa diz que lei não permite uso de escusas de responsabilidade

O Presidente da República defendeu que, em regra, a lei não permite o uso das escusas de responsabilidade e que, em política, quando se tem razão, é muito importante saber explicar aos portugueses a razão que se tem. Estas declarações do Presidente da República surgem numa altura em que muitos médicos têm apresentado escusas de responsabilidade por considerarem que não estão reunidas as condições necessárias para desempenharem as funções cumprido as regras da boa prática médica.

Ensino superior terá aumento de 3,7% e tutela retoma fórmula de financiamento

O ensino superior deverá contar com um aumento de 44 milhões de euros no Orçamento do Estado para 2023, mais 3,7% face a 2022, anunciou esta quarta-feira a tutela, adiantando também que vai voltar a aplicar a fórmula de financiamento.