Califórnia proíbe promoção de armas para menores e restringe "armas-fantasma"

| Mundo
Porto Canal / Agências

Los Angeles, 01 jul 2022 (Lusa) - O governador da Califórnia, Gavin Newsom, anunciou hoje a promulgação de uma lei que proíbe a promoção de armas junto de menores e de outra que termina com a possibilidade de montagem de "armas-fantasma" sem número de série.

A legislação foi assinada dias depois de a maioria conservadora do Supremo Tribunal ter declarado inconstitucional a restrição do porte de arma em público.

"Numa altura em que o Supremo Tribunal reverte importantes proteções de segurança relativas a armas e estados em todo o país tratam a violência armada como inevitável, a Califórnia está a reforçar medidas de segurança consensuais que salvam vidas", disse o governador Gavin Newsom sobre a legislação.

"Estão em causa as vidas das nossas crianças e estamos a pôr tudo em cima da mesa para responder a esta crise".

As armas de fogo foram a causa número um da morte de crianças nos Estados Unidos em 2020, de acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC).

A lei AB 2571 passa a proibir o marketing de armas junto de menores, depois de a fabricante WEE1 Tactical ter lançado uma espingarda AR-15 para crianças chamada JR-15 (Junior-15) e promovida como "mais pequena, mais segura e mais leve".

Em comunicado, a WEE1 Tactical referiu que a espingarda, de calibre .22, "funciona da mesma forma que as armas da mamã e do papá". O material promocional inclui desenhos de caveiras com chuchas.

A lei assinada por Gavin Newsom vem proibir este tipo de marketing, que segundo a legisladora estadual Rebecca Bauer-Kahan é "inconcebível".

A outra legislação promulgada, AB 1621, endereça o problema das "armas-fantasma", armamento de fogo construído com peças sem números de série, de forma a serem impossíveis de rastrear.

"Estamos a descobrir, de forma alarmante, que cada vez mais não há região ou demografia isenta de violência armada -- os nossos hospitais, mercearias, escolas e até lugares de culto já não são seguros", disse o legislador Mike Gipson. "A proliferação de armas-fantasma, que são armas intencionalmente não rastreáveis para escapar às autoridades, só tem piorado o problema".

O Departamento de Polícia de Los Angeles (LAPD) classificou as armas-fantasma como "uma epidemia", num dos estados onde o acesso a armas de fogo é dos mais restritivos do país.

Ao abrigo da nova lei, todas as peças usadas em armas-fantasma terão de ter números de série e os californianos que possuírem armas deste tipo terão de as registar até janeiro de 2024.

Sam Paredes, diretor executivo da associação que reúne detentores de armas na Califórnia, disse à Associated Press que a decisão do Supremo que reforçou os direitos constitucionais relativos a armas torna provável que as novas leis sejam desafiadas judicialmente e anuladas.

ARYG // PDF

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Julho foi dos meses mais quentes jamais registados no mundo

O mês passado foi um dos julhos mais quentes jamais registados no mundo, indicou, esta terça-feira, a Organização Meteorológica Mundial (OMM), uma agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU) com sede em Genebra.

China detecta 35 casos humanos de um novo vírus de origem animal

Um estudo científico revelou a deteção em duas províncias da China de 35 infeções em seres humanos de um novo vírus de origem animal, da família dos Henipavírus, informou esta terça-feira a imprensa estatal do país asiático.

Fornecimento de petróleo russo via Ucrânia foi interrompido

As entregas de petróleo russo a três países europeus através da Ucrânia foram interrompidas após a recusa de uma transação bancária ligada às sanções contra Moscovo, anunciou hoje a empresa russa responsável pelo transporte.