Operação Marquês: Sócrates fica sujeito a apresentações quinzenais na esquadra

Operação Marquês: Sócrates fica sujeito a apresentações quinzenais na esquadra
| País
Porto Canal / Agências

O ex-primeiro-ministro José Sócrates ficou sujeito a apresentações quinzenais às autoridades, além do Termo de Identidade e Residência (TIR), decidiu a juíza Margarida Alves no âmbito do processo separado da Operação Marquês.

"Entendemos, neste momento, mostrar-se adequada e proporcional fixar a periodicidade das referidas apresentações em quinzenais. Assim sendo, decide-se (...) que o arguido aguarde os ulteriores termos do processo sujeito a TIR (já prestado) e à medida de coação de obrigação de efetuar apresentações quinzenais na esquadra/posto policial da área da respetiva residência", lê-se no despacho da juíza.

O agravamento das medidas de coação do antigo governante foi pedido pelo Ministério Público (MP) na sequência da divulgação de viagens ao Brasil por José Sócrates por um período superior a cinco dias sem comunicar ao tribunal, quando lhe foi aplicado a medida de coação de TIR no processo Operação Marquês. O TIR prevê que um arguido saiba da obrigação de não mudar de residência nem se ausentar por mais de cinco dias sem comunicar essa situação ao tribunal.

José Sócrates foi acusado no processo Operação Marquês pelo MP, em 2017, de 31 crimes, designadamente corrupção passiva, branqueamento de capitais, falsificação de documentos e fraude fiscal, mas na decisão instrutória, em 09 de abril de 2021, o juiz Ivo Rosa decidiu ilibar José Sócrates de 25 dos 31 crimes, pronunciando-o para julgamento por três crimes de branqueamento de capitais e três de falsificação de documentos.

+ notícias: País

Covid-19: Isolamento em caso de infeção deixa de ser obrigatório 

As pessoas infetadas com covid-19 vão deixar de ter isolamento obrigatório . Além disso, o SNS24 vai deixar de passar testes como acontecia até agora. Estas são medidas que surgem depois da situação de alerta devido à covid-19 deixa de estar em vigor este sábado. 

Preço justo da água é determinante para reduzir desperdício, defende associação Zero

A associação ambientalista Zero defendeu esta sexta-feira como um "fator determinante" para a redução do desperdício de água a atribuição de um "preço justo ao recurso", que "reflita os reais custos com a sua captação, tratamento e distribuição".

 Médicos de sáude pública consideram prematuro o fim do estado de alerta da Covid-19

Os médicos de saúde pública consideraram prematura a decisão de pôr fim ao estado de alerta devido à covid-19, que faz cair o uso obrigatório de máscaras, o isolamento dos casos positivos, os testes gratuitos e os apoios.