Marcelo Rebelo de Sousa: "A responsabilidade pelos membros do Governo é do primeiro-ministro"

Marcelo Rebelo de Sousa: "A responsabilidade pelos membros do Governo é do primeiro-ministro"
| Política
Porto Canal / Agências

Marcelo Rebelo de Sousa, pronunciou-se em relação à revogação do despacho do Ministro das Infraestruturas Pedro Nuno Santos e, entre a sua breve declaração aos jornalistas, disse que "a responsabilidade pelos membros do Governo é do primeiro-ministro". 

Numa alusão à continuidade em funções do ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, depois deste episódio, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que "é o primeiro-ministro que deve, em cada momento, olhando para o passado e para o presente, ver se são aqueles que estão em melhores condições para terem êxito nos seus objetivos". Caso isso não aconteça os "objetivos não serão atingidos", frisou Marcelo Rebelo de Sousa.

Relativamenete à decisão de António Costa em manter Pedro Nuno Santos no cargo de Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Marcelo disse que "o primeiro-ministro é que é responsável por isso" e, assim, torna-se uma opção do chefe de Governo. "É o primeiro-ministro que, naturalmente, é responsável por isso, pela escolha, mais feliz ou menos feliz, pela avaliação que a cada momento faz, mais feliz ou menos feliz, dos seus colaboradores relativamente às melhores hipóteses que têm para realizar os objetivos", acrescentou.

"É tão simples quanto isto. Não tenho mais nada a dizer", concluiu.

+ notícias: Política

Marcelo Rebelo de Sousa diz que lei não permite uso de escusas de responsabilidade

O Presidente da República defendeu que, em regra, a lei não permite o uso das escusas de responsabilidade e que, em política, quando se tem razão, é muito importante saber explicar aos portugueses a razão que se tem. Estas declarações do Presidente da República surgem numa altura em que muitos médicos têm apresentado escusas de responsabilidade por considerarem que não estão reunidas as condições necessárias para desempenharem as funções cumprido as regras da boa prática médica.

Ensino superior terá aumento de 3,7% e tutela retoma fórmula de financiamento

O ensino superior deverá contar com um aumento de 44 milhões de euros no Orçamento do Estado para 2023, mais 3,7% face a 2022, anunciou esta quarta-feira a tutela, adiantando também que vai voltar a aplicar a fórmula de financiamento.

Marcelo promulga decreto de execução orçamental

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, promulgou o documento do Governo que estabelece as regras de execução do Orçamento do Estado para 2022, avança a RTP.