Altri vende a 0,13 euros os direitos de subscrição no aumento de capital na Greenvolt

| Economia
Porto Canal com Lusa

A Altri e a Caima vão vender os direitos de subscrição no aumento de capital da Greenvolt ao preço indicativo de 0,13 euros, segundo um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A oferta tem por objeto os 23.154.783 direitos pertencentes a estas duas empresas, decorrentes das participações que detêm na Greenvolt, sendo os destinatários da operação os acionistas da Altri que detenham essa qualidade às 23:59 do dia 14 de junho de 2022 e podendo cada um adquirir um direito por cada conjunto de 8,85914897 ações da Altri que detenha.

Nos termos do comunicado, divulgado ao final da noite de quinta-feira, o preço da venda de cada direito de subscrição -- "a pagar em dinheiro" -- poderá, contudo, ser inferior aos 0,13 euros indicativos.

Isto porque o preço a pagar será o valor mais baixo de entre três possíveis: o valor indicativo de 0,13 euros (13 cêntimos); o preço médio ponderado dos direitos de subscrição de ações no aumento de capital da Greenvolt na respetiva negociação em bolsa entre 20 de junho a 22 de junho (em ambos os casos, inclusive)"; ou, "na hipótese de os Direitos não serem objeto de colocação integral em execução da Oferta, o preço a que os Direitos sobrantes sejam alienados pelos Oferentes numa eventual venda subsequente em processo de 'accelerated book-building' ('ABB') ou em mecanismo equivalente para venda de quaisquer direitos não subscritos, realizado até 29 de junho de 2022, inclusive".

De acordo com o comunicado, o preço médio ponderado dos direitos de subscrição de ações no aumento de capital da Greenvolt negociados em bolsa entre 20 e 22 de junho será anunciado em 22 de junho.

Caso se verifique o terceiro cenário e os direitos não sejam colocados integralmente em execução da Oferta, o preço de venda dos direitos será anunciado "na data do ABB ou mecanismo equivalente".

Em ambos os casos, o anúncio será feito no sítio na Internet da CMVM, em www.cmvm.pt, e no sítio na Internet da Altri, em www.altri.pt.

A Altri informou no passado dia 10 que não ia ao aumento de capital da Greenvolt, anunciado no dia anterior, mas que os seus acionistas teriam oportunidade de participar diretamente naquela operação na sequência da oferta de venda de direitos de subscrição de ações da empresa de energias renováveis.

Em causa está um aumento do capital da Greenvolt em 99.994.277,12 euros, abrangendo 17.792.576 novas ações, representativas de 12,785% do capital social.

O preço das novas ações é de 5,62 euros e o período de subscrição decorre de 20 de junho a 04 de julho.

Em 31 de maio, a Altri anunciou que distribuiu aos seus acionistas 39,64% da participação que detinha diretamente na Greenvolt, reduzindo de 58,72% para 19,08% a sua posição na empresa de energias renováveis.

Segundo um comunicado então enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), "a redução da participação maioritária da Altri SGPS acontece na sequência da assembleia-geral da Altri SGPS, realizada a 29 de abril de 2022, na qual foi aprovado que a totalidade do lucro do ano 2021 e, na medida do necessário, as reservas, fossem alocados à distribuição aos acionistas da Altri SGPS de 52,523,229 ações representativas de 43,27% do capital social da Greenvolt".

Como resultado, a Altri passou a deter 19,08% da Greenvolt, num total de 23.154.783 ações.

+ notícias: Economia

Gasolina vendida 1,8 cêntimos e gasóleo 2,2 cêntimos acima da referência

A média dos preços nas gasolineiras ficou, na semana entre 08 e 14 de agosto, no caso da gasolina, 1,8 cêntimos e no gasóleo 2,2 cêntimos acima do preço médio semanal determinado pela ERSE, segundo a entidade.

Lisboa, Funchal e Porto registam crescimento de dormidas em junho face a 2019

Lisboa, Funchal e Porto registaram crescimento de dormidas em junho face a 2019, sendo "mais expressivos nos residentes", de acordo com dados da atividade turística hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Passageiros nos aeroportos sobem 344% no 1.º semestre e aproximam-se de valores pré-pandemia

O número de passageiros movimentados nos aeroportos nacionais subiu 344% no primeiro semestre em termos homólogos, para 24,3 milhões, com o mês de junho a crescer 186%, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).